Desabamento de prédio de 3 andares deixa pelo menos um morto em Nilópolis, no RJ

Bombeiros foram acionados por volta das 6h45 e socorreram pelo menos duas pessoas feridas dos escombros

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2021 08h11 - Atualizado em 24/10/2021 12h24
Prefeitura de Nilópolis/DivulgaçãoEdifício de 3 andares ficava no bairro de Olinda, em Nilópolis

Pelo menos uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas após um prédio de três pavimentos desabar na manhã deste domingo, 24, no encontro da Estrada Nilo Peçanha com a Rua Coronel José Muniz, no bairro de Olinda, em Nilópolis, na região da Baixada Fluminense (RJ). De acordo com o Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi registrada por volta das 6h45. Até as 12h deste domingo, três pessoas tinham sido socorridas com vida pela corporação ao Hospital Geral de Nova Iguaçu e o corpo da vítima fatal, um homem de 26 anos, tinha sido retirado dos escombros. Um dos feridos  já recebeu alta e passa bem. Os outros não tiveram estado de saúde divulgado.

Segundo a prefeitura da cidade, os feridos são Giovana Amorim, de 19 anos; Nilcéa Vital de Souza, de 60 anos e Jorge Luiz dos Santos Brandão, de 54 anos. Eles devem ser realocados para casa de parentes ou, se não tiverem para onde ir, receberão R$ 400 de auxílio aluguel social. O nome da vítima fatal é Gustavo Amorim, que tem 26 anos, e não 23, como anunciado a princípio pelos bombeiros. A Polícia Civil do Rio está no local e faz perícia na área. Por causa da chuva forte no meio da manhã, os trabalhos da Defesa Civil foram dificultados. Testemunhas que conversaram com o repórter Mateus Koelz, da Jovem Pan, no local do desabamento afirmaram que além das quatro vítimas já identificadas, um casal de idosos e outra família moravam no local.

O corpo da vítima fatal foi retirado do local com ajuda de um helicóptero dos bombeiros e a Guarda Civil da cidade isolou a região do prédio. As estruturas residenciais do lado do desabamento sofreram danos, assim como comércios que ficavam na Rua Coronel José Muniz e foram atingidos pelos escombros. Não há até o momento informações sobre o motivo da queda do edifício. De acordo com a prefeitura, o edifício está em situação regular junto à Secretaria de Obras e moradores cogitaram acionar a defesa civil após notar “algo diferente em uma das colunas” da construção, mas não o fizeram.