Com eleição na Justiça, presidente da Câmara toma posse em São Caetano do Sul

Com a candidatura impugnada, prefeito José Auricchio promete se defender na Justiça e recorda caso Saul Klein, empresário acusado de aliciar jovens, que era candidato em chapa da oposição

  • Por Jovem Pan
  • 01/01/2021 21h06 - Atualizado em 01/01/2021 21h13
Reprodução/Facebook/@camarascsoficial Tite Campanella, prefeito interino de São Caetano do Sul, discursa na Câmara dos

O vereador Tite Campanella (Cidadania) foi empossado prefeito interino de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, nesta sexta-feira, 1º. Eleito presidente da Câmara dos Vereadores do município, ele se sentará na cadeira do Executivo enquanto não houver decisão sobre a situação de José Auricchio Júnior (PSDB), que teve a candidatura à reeleição indeferida pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa. O tucano tem duas condenações por receber doações irregulares. Ele tenta reverter a decisão no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Campanella, que é aliado de Auricchio, defendeu o político do PSDB. “Quero que, no mais breve possível, eu possa entregar essa cadeira a quem lhe é de direito. Enquanto isso, estarei à frente do governo seguindo os preceitos do prefeito Auricchio, com administração séria, transparente, eficiente e honradez”, declarou. Auricchio prometeu se defender na Justiça e criticou a oposição, sobretudo Fábio Palacio (PSD), candidato derrotado nas eleições. O candidato a vice na chapa de Palacio era o empresário Saul Klein, acusado de aliciar mais de 25 mulheres que trabalharam em festas em sua casa. “Há essa situação frustrante, mas tenho plena convicção de que vou reverter. Respeito a Justiça, obedeço suas decisões e, se discordo, recorro. É o que estou fazendo. O grupo [de Palacio] busca um projeto individual de poder. Tenho orgulho de ter o Dr. [Carlos Humberto] Seraphim como meu vice. Pai de família, médico ginecologista que cuida das mulheres de verdade, com dedicação profissional e respeito.”