Procon fecha acordo e Samsung vai precisar disponibilizar carregador sem custo para o Galaxy S21

Acordo valerá para consumidor que adquirir o celular e solicitar o acessório durante a pré-venda do aparelho, que começa hoje e vai até o dia 7 de março

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2021 17h45
ReproduçãoNovidade foi confirmada pelo Procon através de nota na qual o órgão afirma que esse acordo só vale para o Brasil

A Fundação Procon-SP e a Samsung fecharam um acordo que obrigará a empresa coreana a disponibilizar os carregadores de celular de aparelhos da linha Galaxy S21 sem custo aos consumidores. O acordo valerá para consumidor que adquirir o celular e solicitar o acessório durante a pré-venda do aparelho, que começa hoje e vai até o dia 7 de março. A novidade foi confirmada pelo Procon através de nota na qual o órgão afirma que esse acordo só vale para o Brasil. “Em outros países, a empresa manterá a forma de comercialização sem o fornecimento do acessório”, diz o comunicado. Para conseguir o carregador, os consumidores deverão acessar um site da empresa e solicitar o acessório, que será entregue em até 30 dias após a solicitação. Para acessar o site, clique aqui.

Na nota, o diretor executivo do Procon, Fernando Capez, classificou o acordo como “histórico”, dizendo que o Brasil sai na frente em relação a outros países e que, a partir de março, o acordo será definitivo, “já que não existe uma justificativa de caráter ambiental para esse tipo de procedimento”. “É uma promoção puramente de caráter econômico, se existe a preocupação ambiental o Procon-SP irá exigir a adoção de políticas de logística reversa a todos os fabricantes de eletrodomésticos e também montadoras de automóveis e celulares, essa será a próxima etapa”, afirma Capez, que também disse esperar que a Apple assuma o mesmo compromisso com o consumidor. “O Procon está analisando e entende que se trata de venda casada, obrigar o consumidor a adquirir o aparelho e depois o carregador, não tem justificativa e a questão ambiental é uma simples desculpa”, conclui.

Caso Apple

No fim de 2020, o Procon notificou a Apple, pedindo que a empresa explicasse a venda de modelos de IPhone sem carregador. A marca, por sua vez, disse que a decisão ajudaria a reduzir a emissão de carbono e de lixo eletrônico, alegando que existem muitas unidades do acessório em circulação. Para o Procon, a empresa não demonstrou que o “uso de acessórios antigos não possa comprometer o processo de carregamento”. Além disso, a Apple não teria conseguido mostrar o ganho ambiental citado como causa da decisão. O comunicado conclui, dizendo que “a conduta da empresa está sendo analisada pela diretoria de fiscalização do Procon-SP”.