Saiba quem é a reverenda Jane Silva, número 2 de Regina Duarte na Cultura

Jane Silva é presidente da Comunidade Internacional Brasil & Israel e já foi para Jerusalém com Regina Duarte

  • Por Caio Menezes/Jovem Pan
  • 23/01/2020 18h17
Reprodução/InstagramReverenda Jane foi convidada por Regina Duarte para ser secretária-adjunta de Cultura

Uma das primeiras ações de Regina Duarte no período de experiência no comando da Secretaria Especial da Cultura foi indicar Janícia Ribeiro Silva ao cargo de secretária-adjunta, nesta quinta-feira (23). Ex-chefe da Secretaria de Diversidade Cultural (SDC), a reverenda Jane, como é conhecida, será a número 2 da atriz na Cultura.

Janícia foi nomeada para o governo federal em novembro do ano passado pelo então secretário da Cultura, Roberto Alvim, exonerado neste mês após publicar um vídeo em que cita frases do notório ministro nazista Joseph Goebbels. Ela chegou junto com Sérgio Nascimento de Camargo, indicado para a presidência da Fundação Palmares, mas que chegou a ter a nomeação suspensa pela Justiça.

Antes de integrar o governo de Jair Bolsonaro, Jane Silva ficou conhecida por ser uma das líderes da Comunidade Internacional Brasil & Israel (CIBI), organização que busca estreitar a relação entre os dois países, bem como a de cristãos e judeus. Defensora da transferência da embaixada brasileira no país para Jerusalém, ela também preside a Associação Cristã de Homens e Mulheres de Negócio e foi pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular de Belo Horizonte, em Minas Gerais, por 20 anos.

Em dezembro de 2018, a CIBI promoveu uma comitiva de notáveis para Jerusalém, em Israel, e concedeu comendas de Embaixador Extraordinário da Paz no Oriente Médio. Entre os integrantes da comitiva, estava Regina Duarte, que foi uma das agraciadas com a medalha extra-oficial criada pela reverenda. Na ocasião, a atriz disse ao jornal Folha de S.Paulo que queria ser “palpiteira” no governo Bolsonaro.

Na comitiva também estavam a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que na época ainda não tinha assumido o cargo, e o senador Carlos Viana (PSD-MG), entre outros políticos. Na época, o deputado federal Delegado Pablo (PSL-AM) afirmou que a viagem teria sido paga com recursos próprios, sem dinheiro público.

Esta não foi a primeira vez que a organização comandada por Jane Silva levou políticos a Jerusalém. Em 2017, uma delegação da Câmara dos Deputados também foi à Israel com a CIBI. Entre os membros, estavam Mariana Carvalho (PSDB-RO), JHC (PSB-AL), Rosângela Gomes (PRB-RJ) e Wherles Rocha (PSDB-AC). A jornalista e atual deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) também acompanhou a viagem.

JÁ EM ISRAEL! Meu muito obrigada à Comunidade Internacional Brasil/Israel. Shalom!!!

Posted by Joice Hasselmann on Saturday, August 26, 2017

 

Nas redes sociais, Jane Silva fez campanha para a eleição do presidente Jair Bolsonaro. Em um post no Instagram, ela afirmou que o capitão reformado era “o único que pode desaparelhar o Brasil”. Em outro, ela postou uma foto ao lado de Bolsonaro e disse que “nunca nenhum politico me ouviu com tanta humildade e me deu tanta atenção”.

As redes da nova secretária-adjunta também têm vários posts contra os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, chegando a chamar Dilma de “bandida”, além de convocações de manifestações contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e a favor do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

A atividade política de Jane, no entanto, não se restringe à internet. Em 2017, ela pediu “perdão” em nome do povo brasileiro a Dani Dayan, indicado por Israel para a embaixada do país no Brasil, mas rejeitado pelo governo Dilma.

Atuação no governo

Nomeada para a Secretaria da Diversidade Cultural em novembro, Jane Silva disse que “pretende dialogar com os brasileiros a fim de que as políticas públicas da cultura atendam às reais necessidades da população” em um perfil disponível no site da Secretaria de Cultura.

A reverenda passou pouco menos de dois meses no comando da secretaria. Nesse tempo, ela assinou um convênio com a Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) para a promoção de atividades culturais em diversas vertentes na Cidade de Maceió com realização de cortejos com grupos da cultura popular, festejos de matriz africana (Xangô Rezado Alto), acessibilidade e inclusão da sociedade à cultura (música, teatro, dança e cinema) através de equipamento cultural, no valor de R$ 950 mil.

Jane também assinou fomento ao Instituto Cultural Caminhos (ICC), de Brasília, para a realização de oficinas de foto e filmagem, edição de vídeo e produção musical em três unidades de ensino do Distrito Federal, no valor de R$ 100 mil.

Sob o comando da pastora, a SDC também fomentou saraus, concertos sinfônicos e oficinas de rap, grafite, poesia, produção audiovisual.

Por enquanto, Jane Silva será secretária-adjunta de Cultura até a definição se Regina Duarte assumirá de fato a pasta. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, investigado pelo suposto laranjal do PSL, também endossou o convite à reverenda.