RJ: Bombeiros combatem incêndio próximo ao Parque da Serra dos Órgãos

Há suspeita de que um balão teria inciado o fogo na região; no entanto, outras hipóteses não são descartadas

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2020 11h37
Divulgação / ParnasoO combate foi feito em duas frentes. Uma para evitar que o fogo atingisse as casas na parte urbana e a outra diretamente na mata com o uso de abafadores

O incêndio na localidade de Alcobacinha, na área de amortecimento do limite urbano e um dos acessos ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), em Petrópolis, na região serrana do Rio, foi extinto. Segundo o comandante do 15º GBM Petrópolis, tenente-coronel Gil Kempers, as equipes trabalharam durante a madrugada desta segunda-feira, 31. O trabalho foi realizado por 10 bombeiros e nove brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Kempers acrescentou, no entanto, que os bombeiros vão fazer uma vistoria para verificar se surgiu algum novo foco na área. “Quando se extingue um incêndio florestal pode ficar uma brasa, pode ficar algum tronco incandescente e mais adiante o foco voltar. Para isso, é feito o rescaldo ao longo do dia”, disse à Agência Brasil. Segundo o coronel, a suspeita de que um balão seria a causa do incêndio não foi confirmada e ainda há uma hipótese de ter sido a queima de lixo em uma casa.

“É muito comum nessas horas ter várias teorias, mas o mais importante é que se a gente for fazer uma análise, 98% das ocorrências de incêndio florestal em Petrópolis, começam por ação humana. Se foi um balão ou queima de lixo não deixa de ser ação humana”, afirmou, completando que também ainda não há informação sobre a área atingida. O incêndio começou ainda no domingo, 30. As equipes tiverem o apoio de quatro viaturas dos bombeiros e uma do ICMBio. O combate foi feito em duas frentes. Uma para evitar que o fogo atingisse as casas na parte urbana e a outra diretamente na mata com o uso de abafadores. Desde o fim de julho a região vem sofrendo com incêndios. Foram quatro grandes incêndios em pouco tempo. O coronel lembrou que os três primeiros foram simultâneos. Um na Reserva Biológica Araras; outro na área do Cobiçado, uma das entradas do Parnaso; e terceiro no Taquaril, em mais um acesso ao parque. Eles foram extintos na sexta-feira, 31 de agosto, e logo depois, na terça-feira seguinte começou o incêndio na parte alta do Parnaso, que segundo o comandante atingiu 330 hectares.

*Com Agência Brasil