São Paulo bate maior taxa de ocupação de leitos de UTI desde o início da pandemia

No momento, 67,9% dos leitos voltados para pacientes com Covid-19 no estado estão ocupados; números da semana epidemiológica são 5,6% maiores do que na semana anterior

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2021 13h46 - Atualizado em 22/02/2021 16h35
Marcello Casal Jr./Agência BrasilNúmeros foram atualizados pelo Estado de São Paulo nesta segunda

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou nesta segunda-feira, 22, que o Estado registra no momento a maior taxa de ocupação de leitos de UTI desde o início da pandemia. Até a manhã desta segunda, 6.288 pacientes ocupavam leitos em todo o Estado, registrando 67,9% de lotação. O maior número registrado até então era referente ao mês de julho de 2020, no ápice da primeira onda. “Nós havíamos lá em julho de 2020, naquela primeira onda, na maior ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva, atingido 6.257. Portanto, ultrapassamos o numerário da história da pandemia no nosso país, fazendo com que a atenção esteja ainda maior, principalmente pelo contato maior que nós temos observado, principalmente em algumas regiões do Estado”, afirmou.

O secretário também pontuou que os índices da semana epidemiológica mostram piora relativa. “Essa semana, o número da saúde merece atenção maior do que as últimas semanas. O comparativo entre a sexta e a sétima semana epidemiológica revelou um incremento de 5,6% do número de internações. A gente sempre reforça que o número de internações mostra o quanto existe a circulação intensa do vírus naquela região, impactando o número de pessoas doentes e doentes graves”, disse o secretário. De acordo com dados do vacinômetro disponibilizado pelo governo do estado, mais de 2 milhões de doses foram aplicadas em toda a unidade federativa até o momento. Dessas, 1.642.810 foram primeiras doses. “Em números absolutos do Brasil, é o Estado que mais vacina. Se nós fossemos um país, estaríamos em nono lugar de todos os países que vacinaram até o momento”, afirmou a coordenadora de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde, Regiane de Paula.

Cidades que mais vacinaram

O governo do Estado também informou os índices de imunização de acordo com as cidades do estado. São Caetano do Sul, no ABC Paulista, é o município com maior porcentagem de população vacinada. Os dados divulgados registram municípios com população superior a 100 mil habitantes e mostram que 9,6% dos moradores da cidade de 161 mil pessoas receberam pelo menos a primeira dose do imunizante. O número é quase três vezes maior do que a média estadual, de 3,65%. Além de São Caetano, as cidades com maior imunização em proporção à quantidade de moradores são Santos (7,4%); Botucatu (7,3%); Catanduva (7,1%); Barretos (7,0%); Araraquara (6,2%); Presidente Prudente (6,1%); Bauru (6,1%); Marília (6,1%) e São José do Rio Preto (6,0%).

Os números divulgados pelo governo são atualizados pelas prefeituras das cidades, que ficam diretamente responsáveis pelas logísticas de imunização. A coordenadora de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde lembrou da necessidade de submissão constante dos relatórios para melhor avaliação estadual. “Quando a gente tem esse registro e a vacinação, a gente pode olhar para esses 10 municípios do estado de São Paulo com mais pessoas vacinadas proporcionalmente à sua população”, pontuou. Uma das cidades no top 10 de imunização, Araraquara iniciou nesta segunda-feira o lockdown total para tentar conter a disseminação da nova variante amazonense da Covid-19. A cidade sofre com escassez de leitos e teme falta de oxigênio para pacientes.