São Paulo: Defesa Civil emite alerta de ‘calor severo’ para esta semana

Em regiões do interior do estado, a sensação térmica pode ultrapassar 45ºC

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2020 10h13
YURI MURAKAMI/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOCom momentos de calor severo, a sensação térmica pode variar de 40ºC a 45°C

A Defesa Civil do Estado de São Paulo emitiu um alerta de calor intenso para os próximos dias. A previsão das autoridades é que as altas temperaturas aconteçam desta terça-feira, 06, até o domingo, 11. Com momentos de calor severo, a sensação térmica pode variar de 40ºC a 45°C, o que acende o alerta para problemas de desidratação e doenças respiratórias.

No entanto, a previsão é que a partir da quinta-feira, 8, considerado pico das altas temperaturas, chuvas fortes com possível queda de granizo em pontos isolados do estado. No Vale do Ribeira, Serra da Mantiqueira e Baixada Santista, a sensação térmica ficará na casa dos 35°C. Já no Litoral Norte, em 40ºC e em regiões do interior de São Paulo como Bauru, Araraquara, Marília, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Araçatuba e Barretos, a sensação térmica tende a ultrapassar os 45°C.

Segundo a Defesa Civil de São Paulo, a umidade relativa do ar atingirá níveis mais críticos. “Também podemos ter piora na qualidade do ar, principalmente nos grandes centros urbanos. A umidade relativa afeta o organismo de todos os seres vivos. Valores abaixo de 40%, além de dificultarem a dispersão de poluentes, provocam o ressecamento das mucosas das vias aéreas, tornando a pessoa mais vulnerável a doenças respiratórias e a infecções virais e bacterianas”, ressalta a nota. A baixa umidade do ar também pode favorecer problemas oculares, alergias e desidratação, sendo um sério risco, principalmente para crianças e idosos.

Para proteger a saúde durante os dias de intenso calor, a orientação do órgão é aumentar a ingestão de líquidos, frutas e vegetais; manter olhos e vias nasais hidratados, com colírios e soros ou lavando-os; utilizar umidificadores e/ou toalhas úmidas nos cômodos da casa; evitar o uso de ar-condicionado e atividades físicas entre 11h e 17h.

*Com Estadão Conteúdos