Site do Ministério da Saúde sofre ataque e dados do ConecteSUS são afetados

Grupo informa em mensagem que está sob o poder de 50 TB de dados; segundo a pasta, o Gabinete de Segurança Institucional e a Polícia Federal foram acionados para apoiarem nas investigações

  • Por Jovem Pan
  • 10/12/2021 01h32 - Atualizado em 10/12/2021 08h50
Reprodução site do ministério da saúde Mensagem postada no site do Ministério da Saúde e no ConecteSUS

O site do Ministério da Saúde continua fora do ar na manhã desta sexta-feira, 10. O acesso à pagina foi interrompido na madrugada, próxima da 1h, quando uma mensagem do grupo LAPSU$ GROUP apareceu no lugar da tela inicial informando que todos os dados internos foram copiados e excluídos, pedindo um resgate para que as informações sejam devolvidas. O ataque hacker também afeta os dados da vacinação contra Covid-19 presentes no ConecteSUS, que ao ser acessado mostra a mesma mensagem. Sites e programas ligados à pasta também estão fora do ar. O grupo afirmou que está em posse de 50 TB de dados. Até às 8h30 desta sexta-feira, a página da Saúde continua indisponível, embora a mensagem do LAPSU$ GROUP não apareça mais.

Nas redes sociais, a queda do ConecteSUS é o assunto mais falado entre os usuários do Twitter. Eles pedem explicações da pasta sobre os dados copiados e as ações feitas para recuperar o serviço. “O maior problema da invasão do ConecteSUS nem é o fato de que as informações sobre as vacinas sumiram (podemos usar a carteirinha do posto) mas, sim, o de que os dados pessoais de todo mundo estão nas mãos de sabe-se lá quem”, escreveu um internauta. Até o momento, o ministro Marcelo Queiroga não se manifestou sobre o ataque hacker.

À Jovem Pan, o Ministério da Saúde informou que o incidente comprometeu temporariamente os sistemas e-SUS Notifica, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), ConecteSUS e funcionalidades como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital e confirmou que eles seguem indisponíveis. ” O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Polícia Federal já foram acionados pela pasta para apoiarem nas investigações. O Departamento de Informática do SUS (Datasus) está atuando com a máxima agilidade para o reestabelecimento das plataformas”, disse em nota.