SP encerra julho com queda de 49% das mortes por Covid-19 desde pico da segunda onda

Estado também observou uma redução de 22% de novos casos da doença em relação às médias de abril; números são os menores registrados desde março de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2021 07h47 - Atualizado em 01/08/2021 13h06
CRIS FAGA/ESTADÃO CONTEÚDO AGE20210731025 - 31/07/2021O Estado de São Paulo finalizou o mês de julho com uma redução de 49% na média diária de novos óbitos

O Estado de São Paulo finalizou o mês de julho com uma redução de 49% na média diária de novos óbitos e de 22% de novos casos de Covid-19 em relação às médias de abril, mês marcado por recordes nos números durante a segunda onda da pandemia. O governo do Estado atribui a queda ao avanço da campanha de vacinação contra a doença e as medidas de prevenção adotadas pelo Plano São Paulo. Os números referentes a julho são os menores registrados desde março deste ano. Do dia 1º ao dia 31 de julho, foram 348.862 novas infecções, equivalente a uma média de 11.253 por dia. Houve 11.315 novas mortes pela doença, ou 365 diariamente. Em todo o mês de abril, as médias diárias foram de 14.462 casos e 718 óbitos.

Além da queda na taxa de mortes e infecções, o Estado apresentou diminuição na taxa de internações pela Covid-19. No sábado, 31, havia 10.607 hospitalizados, sendo 5.219 em leitos de enfermaria e 5.451 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No pico da segunda onda, o número chegou a ser o triplo, com mais de 31 mil pacientes internados. A taxa de ocupação dos leitos de UTI no Estado é de 50,5% e na Grande São Paulo, de 46,6%. Desde o começo do ano passado, o Estado de São Paulo registrou 4.057.868 casos de Covid-19 e 138.996 óbitos. A partir deste domingo, 1º, o comércio terá seu horário ampliado até meia-noite e os estabelecimentos poderão funcionar com 80% da capacidade de ocupação. As novas regras valem até o dia 16 de agosto.