Temer já admite adiar envio da reforma da Previdência para depois das eleições

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2016 14h43
BRA100. BRASILIA(BRASIL),22/09/2016.- El presidente brasileño, Michel Temer, participa hoy, miércoles 22 de septiembre de 2016, en un acto en el Palacio presidencial de Planalto, donde anunció hoy una inversión de 1.500 millones de reales (unos 468 millones de dólares) en la educación secundaria, destinada sobre todo a la implantación de escuelas de tiempo integral en Brasilia (Brasil). EFE/FERNANDO BIZERRA JRMichel Temer EFE

Diante das pressões dos aliados, Michel Temer já admite adiar o envio da reforma da Previdência ao Congresso Nacional. A tendência mais forte neste momento é de deixar o envio do projeto para depois das eleições municipais.

O martelo deverá ser batido na reunião prevista para a noite desta terça-feira (27), no Palácio da Alvorada, em jantar que vai reunir ministros do primeiro escalão, a equipe da Presidência e senadores da base aliada.

A saída para acatar a sugestão pode ser a de alegar que a proposta não está totalmente fechada e ainda precisa ser discutida. Mesmo no Planalto existe uma divisão com parte da Cúpula disposta a esperar pelo pleito e outra querendo um cumprimento das promessas anteriores.