“Trafigata” é presa novamente no Paraná após violar o uso da tornozeleira eletrônica

Camila Marodim teria papel em organização chefiada pelo marido, Ricardo Marodim, e foi alvo de tentativa de assassinato no final de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2022 01h10
Reprodução / Instagram / @camilamarodim Camila Marodim, conhecida como 'Trafigata' Camila Marodim, a 'Trafigata', é considerada parte da organização criminosa do marido

Camila de Andrade Pires Marodim, conhecida como “Trafigata“, foi presa preventivamente nesta quarta, 10, após violar repetidas vezes o uso da tornozeleira eletrônica que havia sido determinado pela Justiça do Paraná. Marodim estava em prisão domiciliar desde o final de 2021, e o Ministério Público (MP) paranaense detectou nove ocasiões em que deixou o aparelho de monitoramento descarregar e seis em que ficou fora do perímetro determinado. A defesa da “Trafigata” afirmou à imprensa que ela cometeu as violações para preservar a própria vida, após ser alvo de um atentado no dia 31 de janeiro no qual diversos tiros foram disparados contra ela na casa em que vive (Marodim escapou ilesa na ocasião). O juiz Sérgio Bernardinetti acatou o pedido do MP e agora Camila foi encaminhada para a Penitenciária Feminina do Paraná. Ela é acusada de participar da organização chefiada pelo marido, Ricardo Marodim, que praticava tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.