Vacinação de idosos com 70 e 71 anos começará em 29 de março em SP

Governo do estado anunciou que imunização de pessoas entre 72 e 74 anos será iniciada na próxima segunda-feira, dia 22

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2021 13h41 - Atualizado em 15/03/2021 17h45
EFE/Joédson AlvesEstado estima que 600 mil pessoas nessa faixa etária sejam imunizadas a partir do dia 29

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira, 15, as próximas datas previstas no calendário de imunização de idosos contra a Covid-19 no estado. Como já previsto anteriormente, o início da vacinação de idosos entre 72 e 74 anos está marcado para a próxima segunda-feira, 22. Já imunização de pessoas de 70 a 71 anos será iniciada na semana seguinte, dia 29 de março. “Isso é um alento e uma esperança aos que têm pais, avós, irmãos, tios, parentes e amigos com essa faixa etária”, afirmou o governador João Doria. Ainda nesta segunda, o estado iniciou a imunização de pessoas com idade entre 75 e 76 anos, com a expectativa de vacinar 420 mil habitantes. O quantitativo das pessoas com entre 72 a 74 anos é de 730 mil pessoas e de 70 a 71 é de 600 mil. “Lembrando que quem faz a vacinação é o município, então uma vez mais nós solicitamos que por favor façam o cadastro no vacinaja.sp.gov.br”, pediu a coordenadora de controle de doenças da Secretaria do Estado de Saúde, Regiane de Paula. Ela orientou que os municípios destinassem o horário da manhã para aqueles que estão indo tomar a segunda dose.

Em relação à produção de vacinas pelo Instituto Butantan, Doria informou que, além das 3,3 milhões de doses da CoronaVac que foram entregues ao Ministério da Saúde, outras 2 milhões de doses da vacina serão integradas ao Plano Nacional de Imunização (PNI) na quarta-feira, 17. Até o momento, segundo números do Instituto Butantan, 20,6 milhões de doses já foram entregues à pasta do Governo Federal. Ele criticou mais uma vez o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro em relação aos imunizantes, que hoje são maioria no Brasil, questionou onde estão as vacinas de outros fornecedores e disse que essa distribuição é a “resposta de São Paulo ao negacionismo do governo federal e à incompetência do Ministério da saúde”.

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, na próxima semana outras 5,2 milhões de doses serão entregues à pasta e na última semana de março 8,4 milhões de doses da CoronaVac serão disponibilizadas. “Em março vamos ter entregue 22 milhões e 300 mil doses de vacinas ao Ministério da Saúde”, calculou. Com o fim de produções de vacina contra a gripe no mês de maio, o órgão espera disponibilizar mais uma linha de produção e acelerar a fabricação do imunizante contra a Covid-19 para o segundo semestre.