Vice de Bolsonaro diz que declaração polêmica foi distorcida e promete ficar em silêncio

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2018 08h25
ReproduçãoMourão disse que foi consultado sobre mensagem publicada por Bolsonaro

Candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), o general Hamilton Mourão (PRTB) se manifestou sobre a declaração polêmica que deu recentemente sobre o 13º salário. Em uma palestra para lojistas gaúchos, ele tinha afirmado que este pagamento e também o  adicional de férias são “jabuticabas”, que só ocorrem no Brasil, dando a entender que é contra essas medidas. Até o próprio Bolsonaro reagiu sobre a polêmica. Então Mourão fez um esclarecimento e prometeu ficar em silêncio a partir de agora.

“Não falei o que estão dizendo que eu falei. Falei dentro de um contexto de gerenciamento. Foi um alerta sobre o custo extra para os empresários e os próprios governos, de um planejamento gerencial necessário para que o 13º salário seja pago. Trata-se de um custo social, que faz parte do chamado custo Brasil”, disse Mourão.

O candidato a vice-presidente afirmou que não é contra o pagamento do 13º salário porque não pode ser contra algo que recebe: “O problema é que, dentro deste contexto que estamos vivendo, a pessoa pega e distorce. Estou aguardando a onda passar”, afirmou o militar, que vai esperar em silêncio: “Vou ficar igual ao frei Leonardo Boff. Vou ficar em silêncio obsequioso. É uma boa linha de ação”.

Sobre a declaração de Bolsonaro, que defendeu o 13º salário e lembrou que trata-se de uma cláusula pétrea da Constituição, Mourão revelou que foi consultado sobre o teor da mensagem e aprovou: “Eu achei que estava muito bem colocado e disse a ele: ‘siga em frente'”.

Com Estadão Conteúdo