Celac é a quinta parceira comercial da União Europeia, indica Eurostat

  • Por Agencia EFE
  • 09/06/2015 11h03

Bruxelas, 9 jun (EFE).- A Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), que na quarta-feira realiza uma cúpula com a União Europeia, é o quinta parceira comercial do bloco comunitário, com um intercâmbio de 200 bilhões de euros, informou nesta terça-feira o escritório de estatística Eurostat.

Após registrar uma “baixa significativa” em 2009 por causa da crise financeira internacional, as importações de bens da UE procedentes da Celac atingiram um recorde de 112,3 bilhões de euros em 2012, antes de voltarem a cair para 98,6 bilhões em 2014.

As exportações, que igualmente caíram em 2009, subiram para 117,5 bilhões de euros em 2013 antes de registrarem queda em 110,6 bilhões em 2014.

Nos últimos dez anos, a parcela da Celac nas importações dos 28 países da UE permaneceu praticamente estável em 5,8%, enquanto a proporção nas exportações subiu de 5,4% em 2004 para 6,5% em 2014.

Dessa forma, os países da Celac somados constituem o quinto parceiro comercial da UE em 2014, atrás dos Estados Unidos, China, Rússia e Suíça.

Os produtos manufaturados dominaram as exportações da UE para a Celac – 87% do total em 2014 – enquanto 66% das importações foram matérias-primas.

Assim, a UE registrou em 2014 um superávit comercial de 67,8 bilhões de euro pelos produtos manufaturados enviados à Celac, que se equilibrou especialmente pelo déficit de 54,6 bilhões de euros no setor das matérias-primas.

A Alemanha foi o primeiro exportador da UE nos países da Celac (30,4 bilhões de euros, 28% do total), seguido da Espanha (14,2 bilhões), Itália (13,4 bilhões), França (11,8 bilhões) e Holanda (9,5 bilhões).

Já os principais importadores europeus da Celac foram Holanda (18,1 bilhões de euros, 18 % do total), Espanha (17,6 bilhões), Alemanha (15 bilhões), o Reino Unido (10,8 bilhões), Itália (9,4 bilhões) e Bélgica (8,2 bilhões).

Entre os membros da Celac, o Brasil (com 33 % das exportações e 32 % das importações) e México (com 26 % e 18 %, respectivamente) representaram mais da metade do total do comércio com a UE em 2014. EFE