Banco do Brasil anuncia programa de demissão voluntária e fechamento de 361 unidades

Estimativa é de que cerca de 5 mil funcionários sejam desligados até fevereiro de 2021; 112 agências serão desativadas

  • Por Jovem Pan
  • 11/01/2021 11h50
Reprodução/Banco do BrasilBanco do Brasil prevê que as mudanças sejam implantadas já no primeiro semestre de 2021

O Banco do Brasil anunciou nesta segunda-feira, 11, a abertura de programas de demissão voluntária e o fechamento de unidades, como agências, escritórios e postos de atendimento. Serão abertas duas modalidades de desligamento voluntário aos funcionários: Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e Programa de Desligamento Extraordinário (PDE). A estimativa é de que cerca de 5 mil funcionários venham a aderir aos programas de demissão voluntária até 5 de fevereiro. A empresa informa que o número final de adesões, assim como o respectivo impacto financeiro, serão informados ao mercado após o encerramento dos períodos de adesão. Segundo o comunicado, as medidas visam o “redimensionamento de sua estrutura organizacional” e estão focadas na “centralidade no cliente”.

Além dos planos de demissão voluntária, o Banco do Brasil irá desativar 361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento. A empresa também converterá 243 agências em postos de atendimento e oito PA serão transformados em agências. Serão criadas 28 unidades de negócios, sendo 14 delas especializadas em agronegócio. O comunicado enfatiza que a criação das agências não envolverá contratação ou locação de novos espaços. Outras 145 unidades de negócio serão transformadas em Lojas BB, sem guichês de caixa. “A reorganização da rede de atendimento objetiva a sua adequação ao novo perfil e comportamento dos clientes”, esclarece a empresa. As medidas estimam uma economia líquida anual com despesas administrativas de R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025. O Banco do Brasil prevê que as mudanças sejam implantadas já no primeiro semestre deste ano.