Dólar opera em baixa por otimismo externo com vacina contra a Covid-19

A moeda abriu o dia cotada a R$ 5,5747 e chegou a R$ 5,5663 às 9h29, mas depois subiu para R$ 5,5948

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 10h30
BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Dólar cai ante o real após BC anunciar nova alta dos juros e elevar a Selic para 4,25% ao ano O dólar chegou a R$ 5,5663 nesta segunda-feira (24)

O dólar opera em baixa na manhã desta segunda-feira (24), sob influência do otimismo predominante no exterior com uma possível vacina contra o novo coronavírus nos Estados Unidos antes das eleições presidenciais, marcadas para novembro. A moeda abriu o dia cotada a R$ 5,5747 e chegou a R$ 5,5663 às 9h29. Pouco tempo depois, no entanto, a divisa americana atingiu pico de R$ 5,5948, e caiu para R$ 5,5920 às 10h19. Na sexta-feira (21), o dólar fechou o dia em R$ 5,6068. Por enquanto, o apetite por ativos de risco impulsiona as bolsas internacionais e as commodities, como petróleo e cobre, e tira força da moeda norte-americana ante seus pares principais e divisas emergentes e ligadas a commodities.

No mercado doméstico, a queda da moeda dos EUA reflete uma realização parcial de ganhos acumulados em 3,31% na semana passada e de quase 40% no ano. Só em agosto, o dólar carrega valorização de quase 7% ante o real (6,68% às 9h22). No entanto, a direção do dólar durante a sessão deve depender ainda das avaliações preliminares dos investidores sobre o pacote de medidas econômicas que o governo federal pretende divulgar amanhã, quando deve ser conhecido também o IPCA-15 de agosto.

Na Pesquisa Focus desta segunda, a Selic no fim de 2020 permaneceu em 2% ao ano, mas passou de 2,75% para 3% no fim de 2021, enquanto a expectativa para a economia este ano passou de retração 5,52% para queda de 5,46% e, para a taxa de câmbio, a mediana no fim do ano seguiu em R$ 5,20 e, para 2021, permaneceu em R$ 5,00. Mais cedo, a FGV informou que o IPC-S teve alta de 0,51%, 0,01 ponto porcentual abaixo da taxa anterior, de 0,52%. Já a confiança do consumidor aumentou 1,4 ponto em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal. O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu a 80,2 pontos.

*Com Estadão Conteúdo