Em projeção mais otimista que o mercado, Ministério da Economia prevê queda de 4,7% no PIB

A Secretaria de Política Econômica (SPE) espera crescimento de 3,2% em 2021, 2,6% em 2022 e 2,5% em 2023 e 2024

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2020 11h25
Itaci Batista/Estadão ConteúdoA previsão da Secretaria de Política Econômica (SPE) para o PIB deste ano é mais otimista que a do mercado

O Ministério da Economia manteve a previsão para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 em 4,70%. Em meio à pandemia do coronavírus, a Secretaria de Política Econômica (SPE) manteve ainda as projeções para a atividade econômica também nos próximos anos, de acordo com a grade de parâmetros divulgada nesta quarta-feira (15). A grade é utilizada pelo governo como base para relatórios e projeções. A projeção da SPE é mais otimista do que a de analistas de mercado. “Apesar da extensão do isolamento social, a projeção do crescimento do PIB para 2020 foi mantida em -4,7% diante da melhoria dos indicadores, refletindo um efeito positivo das políticas adotadas até então”, avaliou a SPE no documento.

Passado o tombo mais forte na economia neste ano, a equipe econômica espera uma recuperação acelerada no próximo ano. Para 2021, a projeção de crescimento foi mantida em 3,20%. Para 2022, a estimativa de alta no PIB continuou em 2,60%. A pasta manteve ainda as projeções de crescimento da economia de 2023 e 2024, ambas em 2,50%. A secretaria destacou as incertezas do cenário econômico em “proporção inédita”. “Não apenas o tamanho do impacto imediato da paralisação da atividade é incerto, como também a velocidade de retomada e os efeitos de longo prazo”, destacou a secretaria.

No último relatório Focus, os analistas de mercado consultados pelo Banco Central estimaram uma queda de 6,10% para o PIB de 2020. Para 2021, a estimativa é de alta de 3,50%. Já a projeção oficial do BC para o PIB é de retração de 6,4% em 2020, conforme o Relatório Trimestral de Inflação publicado no dia 25 de junho.

*Com Estadão Conteúdo