EI apedreja mulher e executa supostos traficantes de órgãos na Síria

  • Por Agencia EFE
  • 08/09/2015 13h00

Cairo, 8 set (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) apedrejou mulher acusada de adultério e executou quatro homens por sequestro e assassinato, que venderiam seus órgãos, no leste da Síria, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos nesta terça-feira.

Em comunicado, a ONG explicou que os extremistas apedrejaram a mulher em uma praça na cidade de Abu Kamal, no leste da província síria de Deir ez Zor, na fronteira com o Iraque.

Os jihadistas também executaram quatro homens em Abu Kamal e crucificaram seus corpos para expô-los, junto com um cartaz que indicava que eles “participaram do sequestro e do assassinato de pessoas para extrair e vender seus órgãos”, como mostram as fotografias distribuídas pelo Observatório.

Segundo a ONG, um dos executados era o irmão de um líder religioso do EI.

O EI proclamou em junho de 2014 um califado nos territórios sob seu controle na Síria e no Iraque, e estbeleceu uma versão radical da “sharia”, a lei islâmica, e aplica castigos brutais aos que infringem suas normas ou a quem considera “infiéis” e inimigos.EFE