Frigorífico brasileiro diz que não foi notificado por frango infectado pelo coronavírus

Aurora Alimentos afirma que irá aguardar a notificação das autoridades para esclarecer os fatos; traços do vírus foram descobertos em lote de carnes enviados do Brasil, diz imprensa chinesa

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2020 16h45 - Atualizado em 13/08/2020 20h56
Entidades brasileiras afirmam que não foram procuradas por autoridades da China

A Aurora Alimentos informou que não recebeu a confirmação de que o lote de frangos congelados infectados pelo novo coronavírus descobertos na China faça parte da sua produção. Por meio de nota, o frigorífico com sede em Santa Catarina afirmou que aguardará a notificação de autoridades sanitárias para esclarecer os fatos. Na manhã desta quinta-feira, 14, jornais de Shenzhen, no sul da China, afirmaram que o lote de frango congelado infectado havia sido exportado pelo frigorífico brasileiro. A Aurora ainda afirma que não há confirmação científica da transmissão do vírus a partir de alimentos ou embalagens. “Todas as medidas estabelecidas pelas autoridades públicas, relativas ao combate a pandemia, estão sendo integralmente seguidas e cumpridas, além da observância de um rigoroso protocolo individual, aprimorado continuamente, de cuidados com seus colaboradores e terceiros, o que tem sido constatado e confirmado pelas diversas fiscalizações dos entes públicos através das respectivas vigilâncias epidemiológicas”, informou a Aurora.

O frigorífico brasileiro também afirmou que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) também não havia sido notificado pelos órgãos reguladores da China sobre o incidente. A associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa os frigoríficos brasileiros, informou que os traços do novo coronavírus foram encontrados na embalagem do produto, e que as autoridades brasileiras não tinham sido oficialmente contactadas pelos chineses. A entidade também reforça que aguardará pela manifestação do Ministério da Agricultura, e que ainda não há clareza sobre o momento que ocorreu a contaminação da embalagem, nem se o contato com o novo coronavírus aconteceu durante o transporte dos alimentos. “O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil está em contato para esclarecimentos com o GACC (autoridade sanitária oficial da China), que fará a análise final da situação. Ao mesmo tempo, o setor exportador brasileiro reafirma que todas as medidas para proteção dos trabalhadores e a garantia da inocuidade dos produtos foram adotadas e aprimoradas ao longo dos últimos meses, desde o início da pandemia global”, informou a entidade.

Alimento contaminado

Autoridades da cidade de Shenzhen afirmaram nesta quinta-feira que encontraram traços do novo coronavírus em amostras de um lote de asas de frango congeladas importadas do Brasil. Segundo a imprensa local, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças encontrou resquício durante uma inspeção de rotina, e testes de ácido nucleico confirmaram a contaminação. Todas as pessoas que poderiam ter tido contato com o produto em questão também tiveram que passar por testes, que até o momento foram negativos. Além disso, todos os lotes do produto contaminado que já foram vendidos foram rastreados e confiscados pelas autoridades.