Traços de coronavírus encontrados em frango estavam na embalagem, diz associação

Entidade que representa frigoríficos afirma que não está claro quando ocorreu a contaminação; autoridades chinesas detectaram traços do novo coronavírus em lote de frangos exportado pelo Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2020 13h25 - Atualizado em 13/08/2020 16h42
Tasso Marcelo/Estadão ConteúdoSegundo entidades, não há confirmação de que o novo coronavírus pode ser transmitido por alimentos

Os traços do novo coronavírus encontrados por autoridades chinesas em um lote de frango exportados pelo Brasil estavam na embalagem, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), por meio de nota. Segundo a entidade que representa os frigoríficos brasileiros, não está claro em que momento ocorreu a contaminação da embalagem, nem se o contato com o novo coronavírus aconteceu durante o processo de produção ou transporte do lote de alimentos. “O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil está em contato para esclarecimentos com o GACC (autoridade sanitária oficial da China), que fará a análise final da situação. Ao mesmo tempo, o setor exportador brasileiro reafirma que todas as medidas para proteção dos trabalhadores e a garantia da inocuidade dos produtos foram adotadas e aprimoradas ao longo dos últimos meses, desde o início da pandemia global”, informou a entidade.

O lote de frangos congelados pertence à Cooperativa Aurora Alimentos, com sede em Santa Catarina, informaram jornais locais. Também em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), informou que não foi notificado pelas autoridades da China sobre o incidente. “Ainda na noite de ontem, após notícia veiculada na imprensa da província chinesa, o Mapa acionou imediatamente a Adidância Agrícola em Pequim, que consultou a Administração Geral de Aduanas da China – GACC buscando as informações oficiais que esclareçam as circunstâncias da suposta contaminação.” Segundo o ministério, não há comprovação científica de que o novo coronavírus possa ser transmitido através de alimentos. “O Mapa ressalta que, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há comprovação científica de transmissão do vírus da Covid-19 a partir de alimentos ou embalagens de alimentos congelados”, informou.

Já a Associação Catarinense de Avicultura (Acav) informou que o setor mantém há mais de 40 anos parceria para investimentos em pesquisa entre a iniciativa privada e o poder público. “O processo produtivo brasileiro, reconhecido internacionalmente, sempre levou em consideração o respeito às pessoas, aos animais e ao uso intensivo de técnicas e tecnologias que levam excelência em qualidade e segurança do alimento colocando assim o Estado de Santa Catarina e o Brasil no topo da cadeia de produção e exportação de aves.”

Autoridades da cidade de Shenzhen, no sul da China, afirmaram nesta quinta-feira, 13, que encontraram  traços do novo coronavírus em amostras de um lote de asas de frango congeladas importadas do Brasil. Segundo a impressa local, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças encontrou resquício durante uma inspeção de rotina, e testes de ácido nucleico confirmaram a contaminação. Todas as pessoas que poderiam ter tido contato com o produto em questão também tiveram que passar por testes, que até o momento foram negativos. Além disso, todos os lotes do produto contaminado que já foram vendidos foram rastreados e confiscados pelas autoridades.