Jordânia está disposta a libertar terrorista iraquiana em troca de soldado

  • Por Agência EFE
  • 28/01/2015 10h33

 O governo da Jordânia disse nesta quarta-feira (28) que está disposto a libertar a terrorista iraquiana Sayida al Rishawi se o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) soltar um piloto jordaniano capturado pelos extremistas.

O porta-voz do governo, Mohammed al Momani, explicou em um comunicado que a prioridade é garantir a sobrevivência do piloto Moaz Kasasbeh, por isso a terrorista será libertada se o soldado retornar “a salvo”.

O EI divulgou ontem (27) um ultimato de 24 horas, cuja veracidade não pôde ser confirmada, no qual ameaçou matar o refém japonês Kenji Goto e o piloto jordaniano se Rishawi não fosse libertada.

O porta-voz jordaniano insistiu que “a postura da Jordânia foi clara desde o princípio”, no sentido que seu objetivo era conseguir a libertação de Kasasbeh.

Rishawi está presa na Jordânia desde 2005 por participar do atentado mais sangrento da história recente do país, que não chegou a efetuar porque seu cinto de explosivos falhou.

O pai do piloto jordaniano pediu ontem ao governo jordaniano que satisfaça as exigências do EI para salvar seu filho.