10 mil crianças podem ter sido vítimas de pedofilia por membros da Igreja Católica na França

A comissão independente que investiga esses crimes no país fez a estimativa tendo como base denúncias feitas por telefone, que relatam casos desde a década de 1950

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2021 16h43 - Atualizado em 02/03/2021 16h44
EFE/EPA/ANSA/CLAUDIO PERIEm 2019, o Papa Francisco removeu o segredo pontifício para casos de pedofilia e condenou esses crimes

Jean-Marc Sauve, o diretor de uma comissão organizada pela Igreja Católica da França para investigar crimes de pedofilia, afirmou nesta terça-feira, 2, que cerca de 10 mil crianças e adolescentes devem ter sofrido abusos de clérigos no país desde 1950. Uma das iniciativas do grupo fundado em novembro de 2018 foi criar uma linha telefônica para que vítimas e testemunhas denunciassem casos de pedofilia dentro da instituição religiosa. Desde junho de 2019, ela já recebeu 6.500 ligações. “A grande pergunta para nós é ‘quantas vítimas se apresentaram’? Foram 25%, 10%, 5% ou menos?”, indagou Sauve.

A Conferência dos Bispos da França decidiu criar uma comissão responsável por investigar casos de pedofilia no país depois que repetidos casos de abuso abalaram a Igreja Católica em todo o mundo. A organização, composta por mais de 20 figuras oriundas de áreas jurídicas, acadêmicas e médicas, deve entregar um relatório final em setembro deste ano. Ao mesmo tempo em que a iniciativa foi aplaudida por algumas vítimas, outras questionaram a capacidade dos promotores francesas de agir sobre essas queixas.