Acidente em mina de carvão na Sibéria provoca 52 mortes e 38 desaparecimentos

43 trabalhadores resgatados do local estão hospitalizados; autoridades russas investigam possíveis violações de normas de segurança no local

  • Por Jovem Pan
  • 25/11/2021 19h41
Divulgação / Ministério de Situações Emergenciais da Rússia Quatro bombeiros se preparam para tentar resgatar vítimas de incêndio em mina de carvão na Sibéria Quatro bombeiros se preparam para tentar resgatar vítimas de incêndio em mina de carvão na Sibéria

Nesta quinta-feira, 25, um acidente deixou dezenas de mortos em uma mina de carvão na Rússia. Até o momento, ao menos 52 mortes foram confirmadas, entre mineiros e membros das equipes de resgate, e 38 ainda estão presas dentro do local, de acordo com as autoridades da região, em Gramoteino, na Sibéria, e agências de notícias russas. A polícia local afirmou que a fumaça começou a ser observada na mina às 8 horas locais (22 horas no horário de Brasília, na quarta-feira). De acordo com o ministério russo de Emergência, 237 trabalhadores que ocupavam a mina de Lisvtvyazhnaya no horário em que o episódio ocorreu foram socorridos. Destes, 43 foram hospitalizados e quatro estão em estado grave.

Dmitri Peskov, porta-voz do presidente Vladmir Putin, afirmou que o político prestou seus sentimentos às vítimas do acidente. “Profundas condolências às famílias dos mineiros mortos”. Autoridades russas investigam possíveis violações de normas de segurança na mina, que opera no país há mais de 60 anos. O local onde o incidente ocorreu já tinha um histórico marcado por outras duas explosões, em 1981 e 2004, deixando ao todo 18 mortos. Além da mina de Lisvtvyazhnaya, na última década, mais de 91 mineiros russos morreram em acidentes de trabalho.