Advogados de defesa do impeachment de Donald Trump acumulam casos polêmicos em seus currículos

Enquanto Bruce Castor se especializou em defender acusados do movimento #MeToo, David Schoen já representou a Ku Klux Klan no tribunal e seria responsável por defender Jeffrey Epstein

  • Por Bárbara Ligero
  • 09/02/2021 11h52 - Atualizado em 09/02/2021 14h16
Montagem Reprodução TwitterDavid Schoen (esquerda) e Bruce Castor (direita) defenderão o ex-presidente Donald Trump no processo de impeachment

O processo de impeachment de Donald Trump começará a ser julgado pelo Senado dos Estados Unidos nesta terça-feira, 9, a partir das 15h do horário de Brasília. Os dois advogados responsáveis por apresentar os argumentos de defesa serão Bruce Castor e David Schoen, que foram contratados de última hora pelo ex-presidente depois que o seu primeiro time de defesa se desmantelou. Por esse motivo, eles tiveram apenas uma semana para trabalhar no caso, que acusa o republicano de “incitação à insurreição” que levou à invasão do Capitólio no dia 6 de janeiro. Esse primeiro dia será dedicado a avaliar se o julgamento é constitucional, algo que os parlamentares passarão quatro horas debatendo antes de votarem sobre a questão. A acusação argumentará que o processo é legítimo, mesmo que já não possa resultar na destituição de Donald Trump, pois avalia eventos que ocorreram de janeiro, enquanto ele ainda ocupava a Casa Branca. Do outro lado, Castor e Schoen tentarão convencer os 100 senadores, que atuarão como jurados, de que o impeachment é inconstitucional pelo fato do seu cliente não ser mais presidente dos Estados Unidos.

Quem é Bruce Castor?

Aos 59 anos de idade, Bruce Castor acumula atuações como advogado de defesa criminal. Segundo o jornal norte-americano The Washington Post, ele se especializou em defender pessoas de acusações de negligência médica e abuso sexual, especialmente os que tiveram as suas reputações arruinadas pelo #MeToo, movimento mundial contra o assédio e a agressão sexual. Entre esses casos está o do jogador de basquete Marko Jaric, que, com a defesa de Bruce Castor, conseguiu se livrar de uma acusação de assediar sexualmente uma mulher. O que tornou o advogado famoso, no entanto, foi o fato dele ter se recusado a acusar o ator e comediante Bill Cosby de ter drogado e abusado sexualmente uma mulher em 2015. Na ocasião, o advogado disse que preferia não pegar o caso porque as próprias ações da vítima durante aquele ano “arruinaram sua credibilidade como uma testemunha viável”. Posteriormente, Bill Cosby foi processado e condenado pelo crime.

Quem é David Schoen?

David Schoen também possui uma série de casos polêmicos em seu currículo. O advogado de 62 anos já representou o movimento de supremacia branca Ku Klux Klan, desafiando com sucesso uma lei que proibia marchar usando capuzes e sem pagar uma taxa. Ele também quase trabalhou como advogado de defesa do magnata Jeffrey Epstein, que foi acusado de criar uma rede de abuso sexual de menores. Epstein seria representado por Schoen, mas cometeu suicídio antes do seu julgamento. Além disso, o advogado já defendeu um chefes da máfia italiana e nova-iorquina por casos de extorsão e líderes das máfias russa e israelense em casos envolvendo narcóticos.