Alemanha confirma que opositor russo Navalny foi envenenado com substância tóxica

Em comunicado, o porta-voz o governo da Alemanha, Stefen Seibert, afirmou o líder opositor foi envenenado por uma substância utilizada para a produção de armas químicas

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2020 12h03 - Atualizado em 02/09/2020 12h07
EFE/Yuri KochetkovAlexei Navalny foi envenenado, aponta exames realizados na Alemanha

O russo Alexei Navalny, principal opositor do presidente Vladimir Putin, foi envenenado. Ao menos, é o que declara o governo alemão na manhã desta quarta-feira, 2. Em comunicado, o porta-voz o governo da Alemanha, Stefen Seibert, afirmou o líder opositor foi envenenado por uma substância utilizada para a produção de armas químicas pertencente ao grupo do agente tóxico Novichok. As informações, segundo o integrante do governo liderado pela chanceler Angela Merkel, são baseadas nos exames realizados pelo Hospital Universitário La Charité, em Berlim, para onde o político foi transferido.

“O governo federal vai notificar os resultados da investigação a seus parceiros na União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte e discutir uma resposta em conjunto”, afirmou Stefen Seibert, que exigiu explicações do governo da Rússia durante seu pronunciamento. “O governo alemão condena este ataque da maneira mais firme. O governo russo está convidado a se pronunciar sobre o caso.”

Ainda em estado grave, Nalvany está internado no hospital alemão desde o último dia 22, quando ele passou mal após beber um chá em aeroporto da Sibéria. A princípio, o governo russo havia descartado qualquer possibilidade do opositor ter sido envenenado, afirmando que não iria investigar o caso. Na Alemanha, no entanto, o hospital Hospital Universitário La Charité confirmou que o russo contém o agente tóxico em seu corpo.

O Novichok é um grupo de substâncias neurotóxicas desenvolvidas pela União Soviética nas décadas de 1970 e 1980. Alguns dos venenos desse grupos, como o A-230, são considerados mais tóxico do que agentes como o VX ou o sarin, e são mais difíceis de serem identificados. Curiosamente, Navalny não foi o primeiro opositor de Putin que foi envenenado com a substância. Em 2018, o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia, chegaram a ficar inconscientes após ingerir o tóxico.