Alemanha: Ministro da Saúde descarta novo bloqueio total no país

O total de novos casos da Covid-19 tem acelerado nas últimas semanas, aumentando os temores de uma segunda onda da doença no país

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2020 10h17 - Atualizado em 02/09/2020 12h03
EFE/EPA/FRIEDEMANN VOGELO ministro disse também que não haverá necessidade de reintroduzir a proibição de visitas a casas de repouso

A Alemanha não vai precisar adotar outro bloqueio total de amplitude nacional para manter o coronavírus sob controle durante o inverno do Hemisfério Norte.  Apesar do recente aumento no número de casos da Covid-19, o ministro da Saúde, Jens Spahn, afirmou, nesta quarta-feira, 2, que “não haverá novamente medidas generalizadas”. No geral, depois de manter o número de infecções e de mortes pela doença em patamares relativamente baixos se comparados com seus vizinhos europeus, o total de novos casos na Alemanha tem acelerado nas últimas semanas, aumentando os temores de uma segunda onda da Covid-19. Spahn disse que especialistas e políticos estão aprendendo mais sobre o vírus a cada dia. “Hoje somos capazes de compreender melhor o vírus do que em março e tenho certeza que em três, seis meses saberemos fazer isso melhor ainda”, disse. Embora o bloqueio total adotado em março tenha sido a coisa certa a fazer naquele momento para proteger os mais vulneráveis na sociedade, tal medida não será necessária novamente, explicou ele.

“Certamente não precisaremos fazer isso nacionalmente”, disse Spahn, acrescentando que as autoridades regionais poderão lidar com os surtos. “Podemos ir para o outono e o inverno com confiança”, afirmou em entrevista coletiva. O ministro disse também que não haverá necessidade de reintroduzir a proibição de visitas a casas de repouso. “E podemos ver que, nas lojas, temos as coisas sob controle, com o distanciamento social e as máscaras”, disse. Ele enfatizou que as pessoas devem continuar a manter a cautela, por exemplo, lavando sempre as mãos e usando máscaras. “Estamos aprendendo onde os perigos são maiores, infelizmente quando socializamos e celebramos em conjunto”, afirmou. Jens Spahn afirmou ainda que se a Alemanha está lidando tão bem com esta crise, é em grande parte graças ao trabalho dos hospitais, que “adaptaram suas estruturas”, aumentando e reservando leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para possíveis infecções. “Médicos, enfermeiras e funcionários de hospitais têm feito um trabalho excelente e estão se preparando para o outono e inverno (europeu) e para qualquer evolução da pandemia”, acrescentou. Spahn disse que a pandemia mostrou como é importante um sistema de saúde “funcional e robusto”.

*Com Agência Brasil e EFE