Após expulsar embaixadora, Venezuela ameaça romper definitivamente com União Europeia

O presidente Nicolás Maduro afirmou que não queria ter declarado a diplomata ‘persona non grata’, mas não aceitará ofensas, ataques e sanções contra o país

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 12h29 - Atualizado em 25/02/2021 14h41
EFE/ Miguel GutiérrezNicolás Maduro pediu que a União Europeia se retifique ou então romperá com o bloco sem abertura para diálogo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ameaçou romper definitivamente com a União Europeia caso o bloco econômico continue desrespeitando “as instituições democráticas” do país. “Ou vocês se retificam ou não há acordo algum com vocês, de qualquer tipo, nenhum diálogo”, afirmou o chefe de governo durante uma transmissão do canal público VTV. As declarações foram feitas nesta quarta-feira, 24, poucas horas depois da embaixadora da União Europeia, a diplomata portuguesa Isabel Brilhante, ser considerada “persona non grata” e expulsa do país. A decisão foi uma resposta às últimas sanções que o bloco econômico impôs contra 19 autoridades venezuelanas próximas a Maduro.

O presidente da Venezuela disse que, a princípio, não queria ter expulso Brilhante, mas se viu obrigado a isso. “Nós o fazemos contra nossa vontade, até mesmo porque queremos ter as melhores relações com toda a Europa, mas não podemos aceitar que alguém venha ofender a Venezuela, atacar, sancionar. Não aceitaremos isso da parte de ninguém”, frisou. A União Europeia, por sua vez, lamentou a decisão e pediu que ela seja revertida. O governo de Maduro já havia ordenado a expulsão da embaixadora no final de junho de 2020, mas acabou voltando atrás três dias depois.

*Com informações da EFE