Argentina: “Seria nossa autodestruição”, diz Macri sobre candidatura de Fernández e Kirchner

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2019 11h09 - Atualizado em 19/05/2019 11h12
EFE"Voltar ao passado seria a nossa autodestruição", disse o presidente em discurso entre apoiadores

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, afirmou no último sábado, 18, que “voltar ao passado” significaria a autodestruição do país. Ele se referia à candidatura de Alberto Fernández, ex-chefe de gabinete de Néstor e Cristina Kirchner, para presidente, e da própria Cristina, que será vice na chapa de Fernández.

“Voltar ao passado seria a nossa autodestruição”, opinou Macri.

O presidente fez um longo discurso entre apoiadores em Buenos Aires, onde esteve acompanhado do chefe de governo da capital, Horacio Rodríguez Larreta.
As referências à candidatura de Cristina Kirchner foram feitas de forma indireta.

Macri, que no passado enfatizou a corrupção dos governos kirchneristas, insistiu na “necessidade de mudar” e enumerou uma série de inimigos.

“Os mafiosos, os pistoleiros, os mentirosos, os corruptos, os preguiçosos, os burocratas. São todos inimigos da mudança porque querem conservar os seus privilégios, querem agitar para que nada mude, querem a escuridão para eles possam se esconder”, criticou.

Em discurso anterior, em um momento em que as pesquisas mostravam uma divisão entre a sua candidatura e uma possível de Cristina, o presidente declarou que o país está “no caminho certo” e que “a oportunidade de mudança” não pode ser desperdiçada pelos argentinos.

Mauricio Macri tem sofrido pressão e queda de popularidade pela crise econômica por qual passa a Argentina, com alta de inflação e moeda desvalorizada. O nível de pobreza no país é o maior dos últimos anos.

*Com EFE