Autor de ataque com arco e flecha era norueguês convertido ao islamismo e investigado por ‘radicalização’

Investigações iniciais do caso indicam que homem de 37 anos – que matou cinco pessoas e feriu outras duas – teria usado outras armas e atuou sozinho

  • Por Jovem Pan
  • 14/10/2021 12h32
EFE/EPA/TERJE PEDERSEN NORWAY pessoas prestando homenagens às vítimas de ataque na noruega Moradores da cidade de Kongsberg prestaram homenagens às vítimas de ataque nesta quinta-feira

O ataque com arco e flecha que deixou cinco pessoas mortas e pelo menos três feridas na cidade de Kongsberg, na Noruega, nesta quarta-feira, 13, foi praticado por um homem de 37 anos de nacionalidade norueguesa que teria se convertido ao islamismo e era monitorado pelo governo local por demonstrar sinais de radicalização. A informação foi divulgada em nota do serviço de inteligência do país europeu nesta quinta-feira, 14. De acordo com o órgão, os fatos “apontam para um ataque terrorista” e o suspeito, que foi preso após confronto com policiais, teria agido sozinho. Ele era morador da cidade e não teve identidade revelada, mas será levado a tribunal nesta sexta para receber um possível mandado de prisão preventiva.

De acordo com a polícia, o suspeito usou outras armas além do arco e flecha e era “conhecido” do serviço de inteligência, sendo incluído na lista dos monitorados pelas autoridades por suspeita de radicalização. O homem teria começado o ataque dentro de um supermercado e, em seguida, saiu atirando flechas a esmo em uma “grande parte” da cidade com menos de 30 mil habitantes. Todas as vítimas do suspeito tinham entre 50 e 70 anos de idade e não há detalhes sobre o estado de saúde dos feridos. Este foi o ataque mais mortal registrado no país desde julho de 2011, quando ataques coordenados pelo extremista Anders Breivik causaram uma explosão em prédios governamentais de Oslo e deixaram 67 pessoas mortas em um acampamento de verão na ilha de Utoya. Ao todo, 77 pessoas morreram.