Bélgica é o país mais atingido pela segunda onda de Covid-19 na Europa

Passando a República Tcheca, a Bélgica acumulou uma média de 1 390 casos de infecção por coronavírus a cada 100 mil habitantes e está vendo o número de internações aumentar

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2020 12h14
EFE/EPA/OLIVIER HOSLETDesde o último dia 19, o país está aplicando um toque de recolher noturno na tentativa de frear as infecções por coronavírus

De acordo com o boletim diário do Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças, a Bélgica ultrapassou a República Tcheca nesta terça-feira (27) e se tornou o país da Europa mais afetado pela segunda onda de Covid-19. Nos últimos 14 dias, a Bélgica acumulou uma média de 1 390 casos de infecção por coronavírus a cada 100 mil habitantes. O recorde anterior, da República Tcheca, era de uma proporção de 1 379 notificações. Depois dessas duas nações, Luxemburgo, Eslovênia, Liechtenstein, França, Holanda, Eslováquia e Espanha foram os países mais atingidos.

A Bélgica tem tido uma média de 502 novas internações por coronavírus a cada dia, além de cerca de 48,3 mortes relacionadas à Covid-19. As regiões mais afetadas são as de Valônia e Bruxelas, onde atividades culturais e esportivas foram interrompidas. Desde o último dia 19, o país também está aplicando um toque de recolher noturno, mas é possível que nessa semana o primeiro-ministro Alexander De Croo aplique um boqueio generalizado como o que foi feito durante a primavera europeia, auge da crise no continente.

O número de infecções no país aparenta estar desacelerando, mas isso se deve principalmente a uma mudança de estratégia nos diagnósticos. Com a saturação dos laboratórios, os testes não estão mais sendo realizados em pacientes assintomáticos, o que pode estar gerando uma subnotificação. Por isso, é muito mais importante avaliar a taxa de positividade que, por sua vez, só vem aumentando.

*Com informações da EFE