Campanha de Trump retira parte dos processos eleitorais na Pensilvânia

O presidente dos Estados Unidos voltou atrás na acusação de que observadores republicanos teriam sido impedidos de acompanhar a contagem das cédulas enviadas pelo correio

  • Por Bárbara Ligero
  • 16/11/2020 10h53
EFE/EPA/CHRIS KLEPONIS / POOL O ex-presidente dos EUA Donald Trump durante discurso com a bandeira do país atra's No mesmo dia, Trump usou o seu Twitter para continuar acusando fraudes nas eleições presidenciais

Neste domingo, 15, a campanha de Donald Trump retirou uma parte dos processos contra o sistema eleitoral da Pensilvânia. O presidente dos Estados Unidos voltou atrás na acusação de que autoridades impediram os observadores de acompanhar a contagem das cédulas enviadas pelo correio pelas cidades de Filadélfia e Pittsburgh. No entanto, o pedido de que o estado não anuncie um resultado oficial permanece ativo, assim como a queixa de que condados com tendências democratas teriam permitido que eleitores corrigissem erros em suas cédulas, violando assim uma lei estadual. Segundo as autoridades competentes, essa alegação afetaria um número pequeno de votos da Pensilvânia, onde Joe Biden deve vencer por uma diferença de mais de 60 mil.

No mesmo dia, Trump escreveu na sua página oficial no Twitter que o democrata “só venceu aos olhos da imprensa das fake news” e reiterou que não admite a projeção anunciada pela mídia norte-americana no dia 7. “Eu não admito nada! Nós temos um longo caminho pela frente. Essa foi uma eleição manipulada”, acusou. Além da Pensilvânia, a campanha do presidente dos Estados Unidos está com processos abertos atualmente no Arizona e no Michigan.