Caso Jacob Blake: Policiais dizem que homem baleado estava armado com faca

Blake, homem negro, foi baleado sete vezes pelas costas por policiais brancos; caso gerou revolta e onda de protestos nos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2020 15h00
EFE/EPA/Matt MartonAtaque de policiais contra Jacob Blake gerou onda de protestos nos Estados Unidos

O sindicato da polícia de Kenosha, em Wisconsin, nos Estados Unidos, deu a sua própria versão da agressão contra Jacob Blake, homem negro que foi baleado nas costas por agentes brancos na cidade. Segundo os agentes, ele estava armado com uma faca e reagiu às ordens dos policiais. Blake, que ficou ferido depois de ter sido baleado nas costas sete vezes, supostamente resistiu quando os agentes tentaram prendê-lo e até chegou a imobilizar um dos policiais, de acordo com o relato do sindicato. Segundo os policiais, a versão é “real e indiscutível”.

De acordo com o sindicato, os agentes também tentaram imobilizar Blake atirando nele duas vezes com pistolas elétricas, conhecidas como ‘tasers’, que provocam choques de até 50 mil volts. Ele supostamente resistiu e acabou sendo baleado sete vezes nas costas, o que o deixou com paralisia dos membros inferiores, de acordo com a família. Até agora, as informações sobre o que aconteceu vêm de um vídeo gravado por um transeunte. Rapidamente, as imagens foram publicadas nas redes sociais, provocando protestos do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), muito ativo desde o assassinato de George Floyd, também negro, por policiais brancos em maio, em Minneapolis, no estado de Minnesota. Nesse vídeo, é possível ver como um oficial tentou deter Blake, que ignorou as ordens e tentou entrar em seu veículo. Foi então que o policial atirou pelas costas sete vezes.

Um segundo vídeo apareceu nesta semana e mostra um breve confronto entre Blake e os dois policiais envolvidos, mas não corrobora com as acusações do sindicato. O tio de Jacob Blake, Justin Blake, disse que a versão do sindicato é “um lixo” e “insultuosa”, de acordo com reportagens da mídia local. Ele afirmou que o sobrinho estava desarmado e não merecia ser baleado sete vezes nas costas. “Não vou deixá-los vir uma semana depois e falar sobre algum tipo de arma que estava envolvida no ocorrido. Isso é depois de paralisar meu sobrinho”, declarou.

A polícia de Kenosha disse que tentou prender Blake no último domingo (23), depois de receber uma ligação de uma mulher que disse que seu namorado havia violado uma ordem de restrição. De acordo com o advogado de Blake, os três filhos do homem estavam no veículo no momento em que ele foi baleado. O novo ataque de um policial branco a um afro-americano provocou fortes protestos em Kenosha, onde na terça-feira (25) um jovem branco de 17 anos, patrulhando com um grupo armado de milícias, matou dois manifestantes e feriu um terceiro. O rapaz está detido no condado de Lake County e enfrenta acusações de assassinato.

*Com EFE