Chile e Uruguai aprovam uso da vacina da Pfizer em adolescentes a partir de 12 anos

Além dos dois países sul-americanos, o imunizante da Pfizer já recebeu sinal verde para essa faixa etária nos Estados Unidos, Canadá e União Europeia

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2021 14h01 - Atualizado em 02/06/2021 18h03
EFE/EPA/ROBERT GHEMENT Menina recebe certificado de vacinação contra a Covid-19 em posto na Romênia Nos Estados Unidos, Canadá e União Europeia, a vacinação de adolescentes contra a Covid-19 já é uma realidade

As autoridades sanitárias do Uruguai e do Chile autorizaram o uso da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela PfizerBioNTech em adolescentes de 12 a 17 anos. O presidente uruguaio Luis Lacalle Pou anunciou a novidade nesta terça-feira, 1º, e afirmou que a campanha estará aberta para essa faixa etária até o final de semana. Levando isso em consideração, o governo uruguaio acertou a compra de mais 500 mil doses do imunizante chinês Sinovac, que pode ser utilizado em pessoas das demais idades. Lacalle Pou reiterou seu posicionamento de que um lockdown não funcionaria no Uruguai e, por isso, defendeu que é através da vacinação que o país alcançará “uma forte redução na circulação do vírus”.

O Instituto de Saúde Pública do Chile (ISP) já tinha aprovado o imunizante da Pfizer para uso em menores de 18 anos na segunda-feira, 31. “Esta é uma notícia muito boa para avançar na imunidade de rebanho, protegendo também nossos adolescentes, que com duas doses e 14 dias terão uma imunidade muito boa para retomar a tão almejada normalidade”, declarou o diretor do instituto, Heriberto Garcia. Dos 19 milhões de habitantes do Chile, 7,9 milhões já foram completamente vacinados. Além dos dois países sul-americanos, a vacina da Pfizer também foi aprovada em adolescentes nos Estados Unidos, no Canadá e na União Europeia.

*Com informações da EFE