China: Homem é condenado a dois anos de prisão por desrespeitar quarentena

Segundo a Justiça, o morador de Hangxu foi instruído a ficar em confinamento, mas infringiu a norma e acabou contaminando outras pessoas

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2020 11h26
EFE/EPA/WU HONGSegundo os últimos números divulgados hoje, a China já registro 85.066 casos e 4.634 mortes pela Covid-19

Um tribunal da China condenou um homem a dois anos de prisão por desrespeitar a quarentena após retornar de Wuhan, cidade origem da pandemia da Covid-19, onde ele havia sido infectado com o novo coronavírus. O Tribunal Distrital de Jingyang, na cidade de Deyang, considerou o homem, de sobrenome Guo, culpado por “obstruir os esforços de prevenção e controle de doenças infecciosas” e o condenou a dois anos de prisão, informou o órgão em um comunicado emitido nesta quarta-feira, 2. Guo voltou para sua cidade, Hangxu, vindo de Wuhan, onde trabalhou em 22 de janeiro, apenas um dia antes da cidade começar um rigoroso confinamento. Segundo a Justiça, ele foi instruído a ficar confinado em casa, seguindo exigências em vigor na ocasião, mas infringiu a norma e na noite seguinte visitou uma sala de jogos. No dia 26, “Guo desenvolveu febre e tosse e foi diagnosticado com Covid-19”, assim como outros moradores que passaram a noite com ele.

“No final, duas aldeias ficaram completamente confinadas”, segundo o tribunal, que o responsabilizou pela propagação do vírus: “Foi pedido para que ficasse em casa e ele não ficou. Fez com que centenas de pessoas ficassem isoladas”, diz o registro do tribunal. Em fevereiro deste ano, o Ministério Público chinês informou que iria impor “punições mais severas” aos pacientes e portadores da Covid-19 “que intencionalmente espalharam o vírus, se recusaram a ficar em quarentena ou usaram transporte público”. “Os pacientes suspeitos serão punidos se espalharem o vírus”, disse o órgão, também considerando a “violência contra trabalhadores comunitários urbanos e rurais organizados pelo governo para atuar na prevenção e controle da epidemia” um crime. Segundo os últimos números divulgados hoje, a China já registro 85.066 casos e 4.634 mortes pela Covid-19.

*Com Agência EFE