Cientista ligado ao programa de armas nucleares do Irã é assassinado

Autoridades do governo iraniano, incluindo o Ministério das Relações Exteriores, estão atribuindo a autoria do ataque a tiros a Israel

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2020 13h58 - Atualizado em 27/11/2020 15h17
EFE/EPA/IRIB HANDOUTO físico Mohsen Fakhrizadeh estava viajando de carro com seus guarda-costas quando o ataque aconteceu

Um dos mais prestigiados cientistas nucleares do Irã foi assassinado nesta sexta-feira, 27. O físico Mohsen Fakhrizadeh foi baleado por homens armados quando estava dentro de um carro nos arredores da capital Teerã. A vítima chegou a ser levada para o hospital, mas acabou falecendo. As informações foram divulgadas pelo Ministério de Defesa do Irã, que não confirmou se os autores do ataque foram detidos. Algumas testemunhas afirmam ter ouvido, além dos tiros, o som de uma explosão. Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque até o momento, mas autoridades iranianas estão atribuindo a culpa a Israel. Segundo serviços de inteligência ocidentais, Fakhrizadeh era o chefe da Organização de Pesquisa e Inovação em Defesa e comandava o programa nuclear iraniano.

Através do seu perfil oficial no Twitter, o ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, escreveu: “Terroristas assassinaram um importante cientista iraniano hoje. Essa covardia – com sérios indícios do papel israelense – mostra uma guerra desesperada contra os perpetradores”. O governo isralense ainda não fez nenhum comentário sobre o assunto. No entanto, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, já mencionou o físico Mohsen Fakhrizadeh no passado. Durante uma conferência, ele chegou a dizer: “Lembrem-se desse nome”. O ataque acontece poucos dias antes do aniversário de dez a anos do assassinato de outro cientista nuclear iraniano, Majid Shahriari. Na ocasião, o Irã também culpou Israel por essa morte.

*Com informações de agências internacionais