Coca-Cola e Absolut venderão bebidas em garrafas de papel ainda em 2021

As empresas testarão as novas embalagens em algumas linhas de produtos na Hungria, Reino Unido e Suécia

  • Por Jovem Pan
  • 12/02/2021 15h53
Divulgação Coca-ColaDuas mil unidades da bebida à base de frutas Adez, produzida pela Coca-Cola, serão vendidas em garrafas de papel na Hungria

A Coca-Cola está prestes a testar uma garrafa de papel como parte de um projeto de longo prazo de eliminar completamente as embalagens plásticas. O primeiro protótipo foi criado pela empresa dinamarquesa Paboco a partir de uma estrutura de papel altamente resistente que, no entanto, ainda contém um fino revestimento de plástico em seu interior. De acordo com a emissora de televisão britânica BBC, a embalagem será testada na prática a partir de junho de 2021 na Hungria, onde serão vendidas duas mil garrafas de papel da bebida à base de frutas Adez, produzida pela Coca-Cola. Além de ser 100% reciclável, a embalagem é capaz de evitar que o gás escape da bebida e que qualquer fibra de papel se desprenda e acabe caindo no líquido, o que poderia alterar o gosto ou fazer com que o produto seja barrado nas verificações de saúde e segurança. Um dos principais desafios enfrentados pelos criadores da garrafa de papel foi criar estrutura capaz de resistir ao engarrafamento sob pressão.

A Paboco não está trabalhando somente para a Coca-Cola. A empresa dinamarquesa vem estudando o desenvolvimento de um papel que seja dobrável e possa receber diferentes cores de tinta: tudo para criar embalagens em cores, tamanhos e formatos que variam de acordo com a marca. A fabricante de vodca Absolut, por exemplo, pretende testar a venda de sua bebida sabor framboesa em garrafas de papel. Duas mil dessas novas embalagens serão colocadas nos mercados do Reino Unido e da Suécia ainda esse ano. Os testes da Coca-Cola e da Absolut serão os primeiros do mundo para saber se a tecnologia resiste à logística e ao transporte do ramo de alimentos.

Mesmo que os testes ocorram sem falhas, o verdadeiro desafio ainda consiste em se livrar completamente do plástico. Além disso, como o papel não pode entrar em contato direto com líquidos, o plano da Paboco é futuramente usar um revestimento à base de plantas no interior da garrafa. “Vai ser uma barreira de base biológica, que é realmente algo mínimo, que mantém os alimentos seguros”, disse o gerente comercial Michael Michelsen em entrevista à BBC. A longo prazo, também será preciso criar uma tampa de papel. O maior problema, nesse caso, seria mudar o maquinário dentro das fábricas, que no momento só trabalham com o rosqueamento de tampas plásticas.