Cólera pode ‘matar milhares’ em cidade ucraniana, alerta prefeito

Demora na retirada de cadáveres e a chegada do verão, com o aumento da temperatura, pode trazer novos problemas

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2022 00h01
EFE/EPA/SATELLITE IMAGE 2022 MAXAR TECHNOLOGIES Imagem de satélite disponibilizada pela Maxar Technologies mostra prédios em chamas, em Mariupol, Ucrânia Mariupol foi severamente afetada por bombardeios e tem 100 mil habitantes atualmente

A guerra pode não ser a única causa de mortalidade em Mariupol, na Ucrânia. O prefeito Vadym Boichenko alertou nesta sexta-feira, 10, para um surto de cólera ou outras doenças devido à demora na retirada de cadáveres e a proximidade do verão, que eleva as temperaturas. Segundo ele, os poços da cidade foram contaminados pelos corpos dos mortos durante semanas de bombardeios. “Há um surto de disenteria e cólera. Esta é, infelizmente, a avaliação dos nossos médicos: que a guerra que levou mais de 20.000 habitantes, infelizmente, com estes surtos de infecção, vai reclamar mais milhares de mariupolitas”, disse Boichenko à televisão nacional. A Organização Mundial de Saúde (OMS) já alertou sobre essa possibilidade há algumas semanas. Mariupol tem hoje cerca de 100 mil pessoas. Antes da invasão russa esse número era de 450 mil.