Devido à lotação, hospitais do Reino Unido recorrem a necrotérios improvisados

Os cadáveres das vítimas da Covid-19 estão criando um problema de gerenciamento de espaço no sistema de saúde britânico; farmácias foram acionadas para ajudar a acelerar campanha de vacinação

  • Por Jovem Pan
  • 14/01/2021 17h50
EFE/EPA/ANDY RAINO Reino Unido tem registrado mais de 1.500 mortes por Covid-19 a cada dia

O aumento no número de mortes por Covid-19 no Reino Unido está levando os hospitais do país a utilizarem necrotérios improvisados para conseguir lidar com a sua própria falta de espaço. O Hospital Universitário de Norfolk e Norwich, por exemplo, confirmou nesta quinta-feira, 14, que utilizará um necrotério em uma antiga base aérea militar. De acordo com o presidente do Grupo de Coordenação Estratégica da Covid-19, Tom McCabe, o espaço contará com pessoal treinado para cuidar dos corpos das vítimas do novo coronavírus e já foi abençoado pelo bispo de Norwich. Nos arredores de Londres, um dos hospitais em Leatherhead está se transformando em um necrotérios improvisado porque o espaço para armazenar cadáveres de outros hospitais da região está se esgotando. As autoridades locais afirmaram que só nesse hospital-necrotério estão guardados cerca de 170 corpos, sendo que metade deles são de vítimas da Covid-19. A capacidade total da funerária improvisada é de 800 cadáveres.

A triste situação, atribuída à nova mutação do coronavírus, levou o Reino Unido a buscar formas de acelerar a sua campanha de vacinação contra a Covid-19. Centenas de farmácias estão se preparando para ajudar a imunização dos grupos de risco na Inglaterra, onde o sistema de saúde está à beira da saturação. As farmácias receberão 12,58 libras (equivalente a R$ 91,32) por dose injetada, o que segundo o governo permitirá que o plano tenha custo zero para as empresas privadas. Até agora, 2,6 milhões de britânicos já receberam a primeira dose da vacina. A expectativa é que esse número aumente em 15 milhões até meados de fevereiro.

*Com informações da EFE