Diretor e mais 30 funcionários são presos após fuga de detentos em presídio do Paraguai

Eles são suspeitos de terem facilitado a fuga de 75 integrantes do PCC, na madrugada deste domingo

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2020 15h00
Reprodução/Porã NewsPresídio em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, onde 75 presos fugiram no último dia 19

O diretor do presídio de Pedro Juan Caballero e outros 30 agentes carcerários — de diversos níveis hierárquicos — estão detidos e devem prestar esclarecimentos ao Ministério Público do Paraguai nesta segunda-feira (20). A informação é do UOL.

Eles são suspeitos de terem facilitado a fuga de 75 integrantes do PCC, na madrugada deste domingo.

Ainda neste domingo, o governo paraguaio já havia anunciado os afastamentos de Joaquín González, diretor-geral de estabelecimentos penitenciários; Matías Vargas, chefe da Segurança; Cristian González, diretor da prisão, além de cinco agentes penitenciários.

O secretário-geral da presidência do Paraguai, Juan Ernesto Villamayor, reconheceu nesta segunda-feira (20) que houve um erro de avaliação por parte do sistema de inteligência do país no caso da fuga.

O presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, ordenou que a equipe de segurança procurasse os membros do PCC e continuasse o contato com as autoridades brasileiras, pois a maior possibilidade é de que os criminosos tenham fugido para o Brasil.

Neste domingo, a segurança da fronteira com o Paraguai no Mato Grosso do Sul foi reforçada e o ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou que está a disposição para ajudar as autoridades paraguaias. Moro também afirmou que os 40 brasileiros membros do PCC devem ganhar “passagem só de ida a presídios federais”.