Estados Unidos afirmam que priorizarão América Latina na doação de vacinas contra Covid-19

O governo norte-americano pretende distribuir 80 milhões de doses do imunizante a países de todo o mundo e apoiar os latinos a superarem a crise sanitária

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2021 13h24 - Atualizado em 27/05/2021 16h04
EFE/EPA/LOUISA GOULIAMAKIEUA também querem garantir que a América Latina tenha sua própria capacidade de produção de medicamentos no caso de futuras pandemias

Os Estados Unidos garantiram nesta quarta-feira, 26, que a América Latina será priorizada nos seus planos de doar 80 milhões de vacinas contra Covid-19 para todo o mundo. O anúncio foi feito pelo principal assessor do presidente Joe Biden, Juan González, que mencionou o fato da região ser uma das mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus atualmente. O governo norte-americano já tinha manifestado seu “interesse genuíno” em apoiar os países latinos na superação da crise sanitária após a posse do novo presidente do Equador, Guillermo Lasso. González também destacou que os Estados Unidos querem pensar em futuras pandemias, expandindo a capacidade de fabricação de medicamentos em todo o mundo e garantindo que o continente americano também tenha a sua própria produção.

Venezuela

Questionado sobre a situação na Venezuela, González reiterou que a Casa Branca está comprometida com uma solução negociada para alcançar eleições livres e justas no país e vai trabalhar junto com a comunidade internacional para pressionar o governo de Nicolás Maduro nesse sentido. Segundo ele, os Estados Unidos continuam reconhecendo Juan Guaidó como presidente interino do país. Recentemente, a embaixadora norte-americana da Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, se reuniu com organizações humanitárias para discutir o impacto da crise sanitária sobre os refugiados e migrantes venezuelanos e como responder a esta demanda.

*Com informações da EFE