Estados Unidos fazem novo ataque de drones contra o Estado Islâmico

De acordo com um funcionário norte-americano, um carro que levava um homem-bomba ao aeroporto foi atingido; operação de retirada das tropas iniciou neste sábado, 28

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2021 12h21 - Atualizado em 29/08/2021 14h52
EFE/EPA/STRINGERCapital afegã estava em alerta máximo no domingo por possíveis ataques terroristas

Os Estados Unidos fizeram um novo ataque com drones neste domingo, 29, no Afeganistão. Segundo agências internacionais, o alvo da explosão eram pessoas suspeitas de serem integrantes do Estado Islâmico-Khorasan, o Isis-K. De acordo com um funcionário norte-americano, um carro que levava um homem-bomba ao aeroporto foi atingido. “Temos certeza que atingimos o alvo com sucesso”, declarou o porta-voz do Comando Central dos EUA (Centcom), capitão Bill Urban, ao explicar que a operação gerou “explosões secundárias significativas”, o que indica que o veículo transportava “uma quantidade substancial” de material explosivo. Neste sábado, 28, outro ataque feito pelo Exército dos EUA matou dois supostos membros do Estado Islâmico e deixou um terceiro ferido. O presidente Joe Biden divulgou um comunicado ontem afirmando que o ataque “não seria o último” e que o país buscará todos os responsáveis pelo atentado que aconteceu na última semana perto do aeroporto de Cabul, que deixou dezenas de mortos, entre eles 13 militares americanos.

A capital afegã estava em alerta máximo no domingo por possíveis ataques terroristas. Segundo agências internacionais, neste domingo, 28, os bancos do país abriram pela primeira sob o novo governo do Talibã, permitindo apenas pequenos saques para clientes que lotavam as agências. Os Estados Unidos tem até esta terça-feira, 31, para retirar todas as tropas do Afeganistão. A operação foi iniciada neste sábado, sendo que já foram evacuadas do país mais de 111 mil pessoas. A ação de retirada das tropas é criticada internacionalmente pelos ares de “improviso” e gerou, ao longo de duas semanas, uma sequência de imagens de desespero em manchetes ao redor do mundo.