Estudantes são acusados de envolvimento na morte de professor na França

Quatro estudantes foram interrogados e libertados sob observação da justiça; dois deles teriam recebido cerca de 300 euros para mostrar ao assassino quem era a futura vítima

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2020 10h49 - Atualizado em 26/11/2020 12h07
Policie Nacionale 78 / Twitter / ReproduçãoAo todo, a polícia francesa já acusou 14 pessoas de envolvimento no assassinato do professor

No início desta semana, quatro estudantes foram acusados por envolvimento na morte do professor Samuel Paty, que foi decapitado nos arredores de Paris, na França, no dia 16 de outubro. A vítima teria sido alvo do ataque por mostrar charges do profeta Maomé em sala de aula. Três dos alunos investigados teriam indicado, na porta do Colégio Conflans-Sainte-Honorine, quem era Paty para o autor do assassinato, Abdoullakh Anzorov. Dois deles teriam, inclusive, recebido cerca de 300 euros para isso. A última estudante é irmã do aluno que iniciou uma campanha contra o professor, que já tinha sido acusado e detido. Os quatro estudantes foram interrogados e libertados sob a observação da justiça.

Ao todo, o número de acusados formais no caso chegou a 14. Três deles, segundo informações extraoficiais, são apontados como cúmplices de assassinato relacionados com uma organização terrorista, enquanto um quarto foi apontado pelo crime de denunciação caluniosa. Abdoullakh Anzorov, o autor do crime, tinha apenas 18 anos e foi abatido pela polícia logo depois do crime.

*Com informações da EFE