Julgamento do caso Charlie Hebdo é adiado após principal acusado contrair Covid-19

Acusado do crime, franco-tunisiano Ali Reza Polat foi contaminado no começo de novembro, não está mais diagnosticado com doença, mas ainda apresenta sintomas

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2020 16h27
EFE/Bas Czerwinski/ArquivoJulgamento foi adiado duas vezes

Adiado pela primeira vez no começo de novembro, o julgamento de suspeitos acusados de serem cúmplices do atentado à revista Charlie Hebdo, na França, em 2015, mudou novamente de data após decisão do Tribunal de Paris nesta segunda-feira, 23. Segundo comunicado do tribunal, a nova data do processo é a segunda-feira, 30 de novembro. O julgamento foi adiado no começo do mês após um dos principais acusados pelas mortes, o franco-tunisiano Ali Reza Polat, se contaminar com o novo coronavírus. Apesar de não testar mais positivo pela doença três semanas após a contaminação, ele continua com sintomas da doença, apresentando principalmente náuseas e vômito.

Ali Reza é considerado suspeito por fornecer as armas usadas pelos terroristas no ataque ao jornal francês. A mudança na data do julgamento foi comemorada por advogados envolvidos com o processo, já que evitará que o suspeito preste depoimento por videoconferência. Com a recuperação total do acusado, ele deve se apresentar pessoalmente na próxima data do julgamento. De acordo com o jornal Le Monde, outros 10 suspeitos foram testados para a doença. Ao todo, 14 pessoas são julgadas pelos ataques ocorridos em 2015 no país europeu.