Exército anula resultado das eleições de novembro em Myanmar

A justificativa para o golpe de Estado promovido pelos militares em 1º de fevereiro foram supostas irregularidades no pleito, que garantiu a vitória da Liga Nacional para a Democracia

  • Por Jovem Pan
  • 26/02/2021 17h39 - Atualizado em 26/02/2021 19h58
EFE/EPA/NYEIN CHAN NAINGAs autoridades do Myanmar tem reagido com cada vez mais truculência às manifestações contra o golpe militar

As autoridades que tomaram o poder em Myanmar após o golpe militar designaram uma nova comissão eleitoral que invalidou nesta sexta-feira, 26, os resultados das eleições que foram realizadas no país em novembro de 2020. Na ocasião, a vencedora foi a Liga Nacional para a Democracia (LND), cuja líder Aung San Suu Kyi está presa desde que o exército passou a controlar o governo. Os militares garantiram que convocarão novas eleições dentro de um ano, mas a população continua se mobilizando em manifestações que pedem o retorno do antigo governo e a libertação dos presos políticos.

A justificativa para o golpe de Estado promovido pelos militares em 1º de fevereiro foram supostas irregularidades nas eleições de novembro, em que o LND obteve 83% das 476 cadeiras do Legislativo. A anterior comissão eleitoral de Mianmar negou a existência de qualquer irregularidade durante o pleito, mas a oposição encontrou resistência entre o comando do Exército, cujo partido garante por lei 25% das cadeiras do Parlamento.

*Com informações da EFE