Fortes chuvas deixam mais de 40 mortos em Nova York e estados vizinhos

Autoridades atribuem as fortes precipitações à passagem do furacão Ida no país, que deixou pelo menos sete mortos no sul dos EUA no domingo

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2021 11h37 - Atualizado em 02/09/2021 18h59
Alex Etling/Reprodução de vídeo/TwitterFuncionamento do metrô foi paralisado por causa dos alagamentos

Pelo menos 41 pessoas morreram no Nordeste dos Estados Unidos após fortes chuvas atingirem a região nesta quinta-feira, 2. As precipitações, que duraram horas, fizeram o escritório do Serviço Nacional de Meteorologia declarar emergência por “risco à vida” em Nova York e Nova Jersey, o que é considerado raro. Um estado de emergência anterior já tinha sido declarado em todo o estado de NY pela governadora Kathy Hochul após um alerta de tornado ser registrado. Centenas de ruas ficaram alagadas e apartamentos localizados no subsolo ou no térreo de prédios foram inundados. No começo da tarde, o presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que o número de mortes na região era de 11 sem detalhar em quais cidades elas teriam ocorrido. Os dados atualizados às 19h desta quinta-feira mostraram que 13 mortes ocorreram na cidade de Nova York, 23 no estado de Nova Jersey, três na Pensilvânia e uma em Maryland.

Quatro das 23 mortes reportadas em Nova Jersey foram registradas no mesmo condomínio, onde a polícia encontrou os corpos de um casal de idosos com 72 e 71 anos, o filho deles, de 38, e uma vizinha de 33. Em NY, quase todas as mortes ocorreram em residências instaladas em porões de prédios no bairro do Queens. Entre as vítimas estão uma criança de dois anos, um homem de 22 anos e a mãe dele. Pelo menos três das outras vítimas fatais estavam dentro de carros que ficaram submersos na água. As estimativas são de que a energia tenha sido derrubada em pelo menos 230 mil casas de toda região nordeste do país. A chuva acabou nas primeiras horas da madrugada, mas o nível da água ainda não tinha baixado na cidade por volta das 6h (7h no horário de Brasília). Por causa disso, todos os serviços de metrô de Nova York foram suspensos no começo do dia e voltaram a funcionar parcialmente no turno da tarde. As operações no aeroporto de Nova Jersey também foram suspensas parcialmente por causa da chuva durante a noite, mas já voltaram à normalidade.

Autoridades locais acreditam que as fortes chuvas sejam efeitos remanescentes do furacão Ida, que tocou o solo norte-americano no último domingo, 29, deixando pelo menos sete pessoas mortas e mais de um milhão sem energia nos estados de Alabama, Louisiana, Mississippi e Maryland. Segundo Biden, a chuva registrada na noite da quarta e na madrugada da quinta foi equivalente ao projetado para o mês inteiro de setembro. “Nossos corações doem pelas vidas perdidas na tempestade de ontem. Eles eram nossos companheiros nova-iorquinos e queremos dizer para seus familiares que a cidade está à disposição nos próximos dias”, afirmou o prefeito da cidade de Nova York, Bil de Blasio, em publicação nas redes sociais. A governadora do estado também se pronunciou pelas redes afirmando que mais de 100 resgates foram realizados ao longo da madrugada e prestando condolências pelas mortes. “Por favor, mantenham essas pessoas e seus familiares nos seus pensamentos hoje”, pediu Hochul. Ela usou as redes para informar sobre o funcionamento de alguns serviços na cidade e pediu que viagens desnecessárias não fossem feitas, já que parte da linha do metrô continua sem operar.