França tem recorde de casos da Covid-19 desde o alívio dos bloqueios

Grécia também registrou os maiores números desde a primeira onda no país, em fevereiro

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2020 21h31 - Atualizado em 12/08/2020 21h32
EFE / EPA / MOHAMMED BADRAPrimeiro-ministro da França, Jean Castex, anunciou ontem uma extensão da obrigação de uso de máscara em espaços públicos ao ar livre

Nesta quarta-feira, 12, a França teve o maior número de novas infecções pelo coronavírus desde maio, quando começou a aliviar as medidas de restrições. Foram 2.524 novos casos, segundo o Ministério da Saúde francês. Isso eleva o total de contaminações pela Covid-19 a 206.696. Já são 30.371 mortes pela doença. A Grécia também registrou os maiores números desde a primeira onda no país, em fevereiro. Foram 232 casos nas últimas 24h. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país teve 5.942 contaminações pela Covid-19 e 214 mortos.

O primeiro-ministro da França, Jean Castex, anunciou ontem uma extensão da obrigação de uso de máscara em espaços públicos ao ar livre, diante da evolução “preocupante” da pandemia, embora não esteja generalizada em todo o país. Castex, que fez repetidos apelos à responsabilidade individual e coletiva durante uma visita ao hospital universitário de Montpellier, afirmou que vai incumbir os prefeitos (delegados governamentais) de coordenar com os municípios para “estender ao máximo a obrigação de usar máscaras em espaços públicos”.

Em todo o mundo, os casos da Covid-19 ultrapassaram a marca de 20,4 milhões nesta quarta. Já as mortes são mais de 745.600. Segundo a Universidade Johns Hopkins, os países que registram o maior número de infecções em números absolutos são os Estados Unidos (5.190.948), Brasil (3.109.630), Índia (2.329.638), Rússia (900 745) e África do Sul (568.919). Nas últimas 24 horas, foram 1.175 novas mortes no Brasil, totalizando 104.201. A taxa de mortalidade está em 49,6 com letalidade de 3,3%; e 55.155 novos casos, totalizando 3.164.785 desde que começou a pandemia.

* Com informações do Estadão Conteúdo