Apesar de laudo russo, hospital alemão reforça tese de envenenamento de Alexei Navalny

A direção do hospital universitário La Charité, em Berlim, informou que os exames realizados no líder da oposição na Rússia apontaram para uma intoxicação com uma substância inibidora de colinesterase

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 13h44
EFE/Yuri KochetkovAlexei Navalny é líder da oposição russa

Apesar de dois laboratórios russos descartarem a presença de veneno nas amostras de sangue de Alexei Navalny, a direção do hospital universitário La Charité, em Berlim, na Alemanha, informou nesta segunda-feira, 24, que os exames realizados no líder da oposição na Rússia reforçaram a ideia de envenenamento. “As investigações clínicas apontaram para uma intoxicação com uma substância inibidora de colinesterase”, aponta boletim médico.

O texto não aponta para qual substância teria sido utilizada. Contudo, o hospital indica que os efeitos tóxicos provocados no organismo foram confirmados em vários laboratórios independentes. Navalny, segundo a direção do La Charité, segue em coma, mas não corre perigo de morrer neste momento. Os médicos do hospital universitário ainda farão outras análises mais profundas para identificar com precisão qual teria sido a substância que causou o colapso do político russo, que obrigou o avião em que viajava a pousar em Omsk, na Sibéria.

Navalny chegou ao sábado ao aeroporto de Tegel, em Berlim, a bordo de um avião médico, e de lá foi transferido para o hospital universitário de La Charité. Apoiadores acreditam que o líder oposicionista foi envenenado por um chá que tomou no aeroporto de Tomsk, onde embarcou em um voo para Moscou. A aeronave teve que fazer um pouso de emergência em Omsk na quinta-feira passada devido ao desmaio repentino do político.

*Com informações da Agência EFE