Humanos ‘domesticaram’ pássaro mais perigoso do mundo há 18 mil anos, diz estudo

Análise feita em cascas de ovos de Casuares na Nova Guiné mostraram que população tinha hábito de comer ovos dos animais e também criá-los para consumo na vida adulta

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2021 15h43 - Atualizado em 28/09/2021 16h18
PxFuel/Creative CommonsCasuar é considerado pássaro mais perigoso do mundo

Um estudo realizado pela Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos, descobriu que humanos que viveram na região da Nova Guiné há 18 mil anos criaram pássaros da espécie Casuar, considerados como um dos mais perigosos do mundo. A descoberta foi feita por meio da análise de cascas de ovos da espécie encontradas na ilha do Pacífico. Enquanto parte delas tinham marcas de “queimaduras”, que mostravam o consumo de alguns por parte dos humanos, outras tinham sinais de que se desenvolveram completamente até que os animais nascessem. Esses pássaros que nasciam, de acordo com os pesquisadores, se desenvolviam até terem tamanho suficiente para serem sacrificados e servirem de alimento às populações locais.

“O comportamento que descobrimos foi registrado milhares de anos antes da domesticação da galinha”, afirmou no estudo a professora Kristina Douglass. Ela trabalhou por anos analisando cascas de ovos de diversas espécies para conseguir determinar a relação dos povos antigos da região com os animais. Os Casuares, que são comumente comparados com dinossauros pela sua aparência, podem chegar a pesar 60 quilos e até hoje são consumidos em partes de Nova Guiné. De acordo com o Zoológico de San Diego, apesar de não voarem, as longas garras das aves as tornam ameaçadoras para predadores e podem matar humanos. A última morte causada por um Casuar foi registrada na Flórida, em 2019.