Índia e Paquistão concordam com cessar-fogo na região da Caxemira

Os países decidiram que as futuras tensões na região fronteiriça serão resolvidas através de uma linha direta; disputa pelo território rico em recursos hídricos acontece desde 1947

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 14h37 - Atualizado em 25/02/2021 15h17
EFE/EPA/FAROOQ KHANDivididos entre o domínio da Índia, do Paquistão e da China, alguns caxemires defendem que a região deveria ser independente

A Índia e o Paquistão comunicaram de forma conjunta que concordam com um cessar-fogo na Caxemira a partir desta sexta-feira, 26. “No interesse de alcançar uma paz mutuamente benéfica e sustentável ao longo das fronteiras, os dois concordaram em abordar os principais problemas e preocupações um do outro que têm a propensão de perturbar a paz e levar à violência”, diz a nota. Uma linha direta entre as partes teria sido criada para resolver eventuais tensões no futuro. Nos últimos meses, a região fronteiriça têm sido palco de trocas de tiros entre os países, ambos detentores de armas nucleares. Ao longo de 2020, o exército indiano foi responsável por ataques que mataram 28 civis e deixaram outros 257 feridos. Já as forças armadas paquistaneses teriam sido responsáveis por tirar a vida de 22 civis e 24 soldados, além de ferir 197 pessoas.

A Índia e o Paquistão disputam o território da Caxemira em uma sucessão de guerras que tiveram início em 1947. O interesse pela região se dá principalmente devido aos seus recursos hídricos: a Caxemira possui vários afluentes do rio Indo. Atualmente, o governo indiano administra cerca de 43% da região, enquanto os paquistaneses controlam 37% e os 20% restantes pertencem oficialmente à China. Enquanto isso, alguns caxemires alegam que o território deveria ser independente de todos os três países.