Israel faz novo ataque contra Gaza após ser alvo de balões incendiários

Alvos foram complexos militares e um local de lançamento de foguetes do Hamas

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2021 23h20
Reprodução/ Twitter Oficial das Forças de Defesa de Israel @idfonlineExército acertou um complexo militar do Hamas

O Exército de Israel bombardeou nesta quinta-feira, 17, alvos do movimento islâmico Hamas na Faixa de Gaza, pela segunda vez nesta semana e após três dias consecutivos de lançamentos de balões incendiários do enclave para seu território, informou um porta-voz militar. “Durante o dia de hoje, balões incendiários foram lançados da Faixa de Gaza para o território israelense. Em resposta, os aviões de combate do Exército israelense atacaram complexos militares e um local de lançamento de foguetes pertencentes à organização terrorista Hamas”, disse um comunicado militar. Fontes de segurança palestinas em Gaza confirmaram à Agência Efe que os bombardeios atingiram três centros de treinamento pertencentes às Brigadas al Qassam, a ala armada do Hamas. Além disso, eles detalham que embora não tenham causado ferimentos, produziram danos materiais.

Em resposta ao lançamento de balões incendiários, o Exército disse ter recebido instruções para “aumentar o nível de preparação para uma série de cenários, incluindo a retomada das hostilidades”. Os balões de hoje causaram oito incêndios na área, elevando o número para mais de 30 desde o início dos lançamentos pelas milícias em Gaza na última terça-feira, segundo a imprensa israelense. Durante aquele dia, em que foram registrados 25 incêndios no sul de Israel como resultado desses ataques, o Exército também respondeu com bombardeios contra alvos da ala armada do movimento islâmico, que considera responsável por todas as hostilidades provenientes da Faixa.

O Hamas, por sua vez, disse hoje em um comunicado após os atentados que se Israel “cometer qualquer estupidez” contra a população de Gaza ou membros do movimento, haverá uma resposta armada. Esses três dias de hostilidades entre Israel e as milícias de Gaza foram os primeiros desde 21 de maio, quando uma trégua “mútua, simultânea e incondicional” entrou em vigor, pondo fim a uma escalada de 11 dias que deixou 255 mortos no enclave e 13 em Israel.

*Com informações da EFE